Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Uber está perto de concluir uma nova ronda de financiamento privado que irá avaliar a empresa em 62,5 mil milhões de dólares, cerca de 57,5 mil milhões de euros. A confirmar-se a operação, noticiada pela Bloomberg, a Uber vai encaixar 2,1 mil milhões de dólares junto de investidores privados – a empresa não está (ainda) cotada em bolsa – em troca de uma porção do capital que fará com que a totalidade da empresa seja avaliada em mais 50% do que há um ano. E mais do que todas as empresas da bolsa portuguesa juntas.

Será a 14ª ronda de financiamento da Uber, segundo dados da CrunchBase, e uma oportunidade para a empresa juntar mais alguns aos 53 investidores conhecidos que já tem. Há um ano, na penúltima ronda de financiamento privado da Uber, a empresa foi avaliada em 40 mil milhões. Mas, segundo a CB Insights, a avaliação da empresa unicórnio já trepara, entretanto, para os 51 mil milhões. Existe, portanto, um crescimento de mais de 50% no espaço de 12 meses naquilo que os investidores acreditam que a empresa vale.

A empresa tem crescido envolta em polémica, um pouco por todo o mundo, mas isso não tem impedido que cada vez mais investidores queiram saltar a bordo – incluindo a Microsoft, que já terá investido 100 milhões de dólares. Os 62,5 mil milhões de dólares a que a empresa poderá ser avaliada nesta operação, equivalente a 57,5 mil milhões de euros, superam os 52,72 mil milhões de euros que correspondem à soma de todas as empresas da bolsa portuguesa.

O encaixe financeiro (2,1 mil milhões) que deverá ser obtido com esta nova operação de financiamento surge numa altura em que a Uber está a juntar novas valências ao serviço. Segundo a Bloomberg, a empresa está a testar funcionalidades como a entrega de comida e de encomendas em algumas cidades e está, também, a explorar novas tecnologias como os automóveis sem condutor. A Uber está, ainda, a investir agressivamente na expansão para os mercados asiáticos, entre os quais a China.

Para convencer os investidores a entrarem nesta nova ronda de investimento, a Uber está a dizer aos investidores que está a conseguir gerar receitas a um ritmo anualizado de 10 mil milhões de dólares. Apesar de distribuir a maior parte dessas receitas a quem conduz os veículos e outras despesas, a empresa é lucrativa em mais de 80 cidades onde opera, segundo a Bloomberg.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR