A Doyen Sports, fundo de investimento na área do futebol, acusou o site Football Leaks de tentar extorquir dinheiro a troco de silêncio. Segundo uma nota de imprensa enviada à redações, a Doyen garante ter participado às autoridades policiais “os diversos crimes de que foi alvo” a 4 de outubro de 2015:

Disponibilizámos às autoridades tudo o que nos foi solicitado, nomeadamente elementos indiciadores de que os autores desse website tentaram extorquir dinheiro a troco de silêncio. Uma tentativa de extorsão com ameaças constantes à Doyen e aos seus representantes.”

O Football Leaks, que a Doyen diz autoproclamar-se como “cruzado contra a opacidade no futebol”, é um site — aparentemente desativado — dirigido por anónimos que já antes publicou documentos oficiais relativos ao futebol português. O Sporting foi um dos grandes alvos, clube que viu chegar à internet o contrato do seu atual treinador, Jorge Jesus, e outros documentos relativos ao processo de renovação e transferência do extremo peruano André Carrillo. A Doyen Sports também saiu prejudicada, com documentos referentes a negócios a verem a luz do dia.

A Doyen diz aguardar os resultados das investigações, não sem antes “alertar para o facto de não poder garantir que alguma documentação divulgada pelos meios de comunicação social com origem no referido website seja totalmente fidedigna”.

A propósito disto, a entidade recorda ainda que:

  • “Os autores do Football Leaks incorrem em diversos crimes que estão tipificados;
  • Os órgãos de comunicação social que persistirem em publicar documentação proveniente deste website estão a cometer, em co-autoria, a prática do crime de divulgação ilícita de documentação particular e confidencial;
  • Quaisquer contactos entre os autores desse website e quaisquer jornalistas terão também, naturalmente, de ser objeto de investigação”.