Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A participação das Forças Armadas no combate ao terrorismo transnacional não prevê intervenção militar em teatros de operações além daqueles em que Portugal se já encontra, segundo um comunicado de imprensa enviado às redações pelo Ministério da Defesa Nacional.

O ministério adianta que a referida participação está “a ser analisada” e diz exclusivamente respeito à “aplicação de meios”. Na nota é possível ler:

Atendendo ao teor de notícias hoje publicadas na imprensa, vimos informar que a participação das Forças Armadas no combate ao terrorismo transnacional que está a ser analisada em resultado da solicitação da República Francesa, no âmbito da ativação da cláusula de defesa mútua aprovada pela União Europeia, diz respeito exclusivamente à aplicação de meios, sem que se preveja qualquer intervenção militar em teatros de operações além daqueles em que Portugal se encontra a operar na atualidade.

O esclarecimento surge na sequência das notícias publicadas esta quarta-feira, as quais davam conta que o ministro da Defesa, Azeredo Lopes, adiantara a existência de conversações com a França para a participação militar portuguesa em três teatros de operações, nenhum deles a Síria.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR