Cascais vai ter uma uma sirene de alerta de tsunami para alertar a população em situações de risco. A informação é avançada pela Câmara Municipal do município, que se torna o primeiro do país a usufruir daquele sistema, e é noticiada pela Renascença e pela Lusa.

A ideia é “melhorar os mecanismos de alerta de catástrofes e a redução dos tempos de transmissão de alertas às populações”. O mesmo sistema de alerta “poderá ainda ser utilizado noutras situações de risco, nomeadamente, cheias e inundações, ventos fortes ou outro tipo de riscos naturais ou tecnológicos”, adiantou a autarquia.

O acordo para o novo sistema foi celebrado entre a autarquia e a Autoridade Nacional de Proteção Civil. A sirene estará equipada com um controlo local, que deverá servir as unidades de resgate envolvidas nas operações de socorro e salvamento, e deverá ajudar à comunicação na área afetada.

A base da informação partirá do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) e da Proteção Civil. Depois, o sistema permite o envio de um sinal de rádio ou GPRS auxiliar a partir de transmissores terrestres, para avisar a população quando houver um risco iminente, esclarece o município.