Mariano Rajoy acredita que Pedro Sánchez usou o exemplo do primeiro-ministro português como inspiração para tentar chegar ao governo em Espanha e acusou o líder do PSOE de querer usurpar a vitória eleitoral que o PP obteve nas eleições de dezembro. As acusações foram feitas durante o debate da investidura que acabou com a derrota da proposta de um governo de aliança entre o PSOE e o Ciudadanos.

“O senhor descobriu em Portugal a fórmula milagrosa de afastar o PP. Reconheça que ficou deslumbrado com aquela solução. Deve ter pensado: se outros conseguiram, porque não eu? E a 7 de janeiro foi a Lisboa para perceber como se distorcem resultados eleitorais”, atirou o líder do PP a Sánchez.

Os resultados eleitorais em Espanha foram semelhantes aos de Portugal. O partido que estava no governo, o PP, ganhou as eleições, mas sem maioria absoluta. O principal partido de oposição, o PSOE, foi derrotado e partidos mais pequenos como o Podemos e o Ciudadanos, tiveram resultados surpreendentes, tendo o Podemos se afirmado como a terceira força política no Congresso. Estava marcado o fim do bipartidarismo em Espanha.

O cenário parece familiar. Mas se em Portugal o acordo do PS com os partidos de esquerda veio depressa, em Espanha as eleições foram em dezembro e ainda não há governo. A derrota de Sánchez no debate da investidura desta quarta-feira, mostra que não há solução à vista para um governo no país vizinho.

Os votos do PSOE e do Ciudadanos não são suficientes para formarem governo. Pedro Sánchez precisa do voto a favor ou abstencionista do Podemos, mas Pablo Iglesias já garantiu que manterá o voto contra. Se assim for e o resultado desta quarta-feira se repetir na de sexta-feira, Sanchez torna-se o primeiro candidato à presidência na história de Espanha a falhar a investidura.