Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A startup liderada por Pedro Fonseca desenvolveu a aplicação James para facilitar a análise dos riscos de crédito. Esta segunda-feira, foi considerada a melhor startup de tecnologia financeira (fintech) da Europa, no maior evento do mundo da área, a conferência Money 20/20, em Copenhaga, na Dinamarca.

https://twitter.com/CrowdProcess/status/717010115405221888?ref_src=twsrc%5Etfw

Lançada em 2011 por Pedro Fonseca, João Jerónimo e João Menano, a CrowdProcess conta com investimento do programa Seedcamp e de vários business angels. Chegou a Copenhaga como uma das 12 finalistas europeias. No final, foi a computação distribuída que venceu. Com a CrowdProcess, os fundadores começaram por colocar vários computadores a fazer aquilo que apena um não conseguia, na análise de risco de crédito.

Atualmente, a ferramenta desenvolvida pela startup portuguesa é utilizado pela banca de média dimensão. Permite que os operadores que trabalham na análise de risco utilizem as ferramentas que um cientista de dados usaria para avaliar o risco do crédito contraído pelos clientes.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR