É a passadeira vermelha mais polémica de todos os anos. Do vestido omelete de Rihanna ao chapéu flamejante de Sarah Jessica Parker, cada edição da Met Gala é um desfile de moda improvisado que reúne vários atores de Hollywood e reconhecidos nomes do mundo da moda. Este ano, Anna Wintour (diretora da Vogue norte-americana) volta a ser responsável pela organização da gala de beneficência e recebe a cantora Taylor Swift como anfitriã do evento conhecido por ter um código de vestuário diferente a cada ano.

Para a edição de 2016, Manus x Machina: moda na era da tecnologia foi o tema escolhido para inspirar os coordenados que vão pisar a red carpet do Costume Institute do Metropolitan Museum of Art, em Nova Iorque, no próximo dia 2 de maio. O objetivo é explorar a dicotomia entre as coleções de alta-costura (normalmente feitas à mão) e as coleções de ready to wear feitas à máquina.

Tradicionalmente, a distinção entre alta-costura e pronto a vestir é baseada no feito à mão e feito à máquina”, explica Andrew Bolton, curador do Costume Institute, à revista Vogue. “Mas recentemente esta distinção tem desaparecido à medida que ambas abraçaram as práticas e técnicas uma da outra.”

O evento ainda vai expor cerca de 100 peças de moda com as típicas pregas, rendas e detalhes da haute couture misturadas com tecnologias como o corte a laser, modelagem térmica e tricot circular, tão associados à moda de prêt-à-porter. Exemplo disso é o vestido que sugerimos para Solange Knowles que, para além da silhueta futurista, ainda é composta por impressão 3D.

Prevemos também que a escolha da sua irmã Beyoncé não só volte às transparências como ainda evidencie as curvas da cantora com bordados metálicos e um decote acentuado. Outras das sugestões que também exploram o tema desta edição é o provocante J. Mendel que escolhemos para Cara Delevingne e o clássico Armani Privé de Selena Gomez.

Em jeito de antecipação, reunimos em fotogaleria sugestões para as principais convidadas de Anna Wintour que vão marcar presença na Met Gala de 2016.