Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Poucas horas depois de Ted Cruz ter anunciado que estava fora das primárias republicanas, a NBC está a avançar que o candidato John Kasich também se prepara para suspender a sua campanha. Aquele canal norte-americano cita uma fonte da campanha do governador do Ohio e refere que já foi cancelado um comício que estava agendado para esta quarta-feira.

John Kasich, o mais moderado entre os os candidatos republicanos, suspende a campanha com apenas uma vitória onde ela seria de esperar: no seu próprio estado, o Ohio. Até agora, tinha juntado apenas 153 delegados — ainda menos do que Marco Rubio, que suspendeu a sua campanha em março.

Apesar de ser o candidato menos votado entre os republicanos, John Kasich era paradoxalmente aquele que melhor aparecia nas sondagens quando colocado frente a frente com Hillary Clinton, vencendo-a na grande maioria dos casos, ao contrário dos restantes republicanos.

Depois de as primeiras votações nas primárias republicanas terem confirmado o favoritismo de Donald Trump, a estratégia de John Kasich passava por uma convenção aberta. Só que, para tal acontecer, era preciso que o milionário nova-iorquino chegasse à convenção do Partido Republicano, que começa a 18 de julho, sem os 1.237 delegados necessários para uma maioria absoluta. No entanto, depois de ter tido uma série de resultados altamente favoráveis nas últimas três rondas eleitorais — primeiro, Nova Iorque; depois, vários estados, entre os quais a Pensilvânia; finalmente, o Indiana, as contas ficaram praticamente fechadas a favor de Trump.

Neste momento, Trump precisa apenas de 190 delegados entre os 445 que ainda estão por conquistar para chegar ao limiar dos 1.237. Agora, sem Kasich nem Cruz pelo caminho, chegar a esse patamar tornou-se numa mera formalidade para o milionário de Nova Iorque.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR