Miguel Albuquerque anunciou que o governo madeirense decidiu substituir a direção do hospital do Funchal, como já constava de uma deliberação, e nomear uma nova presidente para o conselho de administração. Em declarações aos jornalistas, o presidente do governo regional da Madeira admitiu ainda a existência de “alguma falta de diálogo”. “A responsabilidade é, em primeiro lugar, minha”, disse.

“O Governo Regional da Madeira decidiu mudar a administração do SESARAM e nomear uma nova presidente para o conselho de administração, que vai constituir a sua equipa e propor uma nova direção clínica ao secretário regional de Saúde”, referiu Albuquerque. A nova presidente será Maria João Monte, que irá ocupar o lugar de Lígia Correia. O presidente acredita que, deste modo, serão reabertos os canais de diálogo.

A direção clínica e os diretores de serviço do hospital central da Madeira colocaram esta quinta-feira o seu lugar à disposição devido à falta de medicamentos, material e de pessoal na área da saúde que garantam as condições de funcionamento normal do hospital.

Um documento onde estava expressa a vontade do pessoal do Hospital Dr. Nélio Mendonça foi entregue à presidente do conselho de administração do SESARAM. Entre os signatários do documento estavam o diretor clínico e o diretor clínico adjunto, que se têm afirmado preocupados com as consequências da greve dos estivadores de Lisboa no abastecimento de medicamentos para hemodiálise.