A quatro dias do arranque do Euro 2016 de futebol, Fernando Santos está confiante na qualidade da seleção nacional. Num entrevista concedida ao jornal espanhol “A Marca”, o selecionador nacional afirmou que já vai sendo tempo de Portugal ganhar um título europeu, a avaliar pela “qualidade” das gerações que tem tido. Sobre Cristiano Ronaldo e Pepe, que se juntaram à seleção este domingo depois de uma pausa pós-vitória na Champions, Fernando Santos considera que vão ser uma mais-valia: “Vêm felizes e com um impulso extra”.

Depois de Portugal ter estado a um triz de ganhar o Euro de 2004, onde jogava em casa, tendo perdido para a Grécia, e depois de ter chegado à semifinal em 2012, tendo perdido para Espanha nos penáltis, Fernando Santos afirma que é tempo de a sorte soprar a favor da equipa das quinas. “Se pensarmos nas gerações que temos tido, Portugal já merecia ter ganho um Euro, claro. Mas isto não funciona assim. Também houve muitas gerações excecionais em Espanha que nunca ganharam”, disse o selecionador, lembrando também o exemplo, em sentido contrário, da Grécia: “Ninguém pensou que podiam ser campeões [em 2004] e foram”.

Portugal joga esta quarta-feira, contra a Estónia, o último encontro particular antes de partir para o campeonato em França, e, depois de ter perdido o último amigável frente a Inglaterra, Fernando Santos considera que agora a equipa tem uma força renovada. Muito devido ao regresso de Cristiano Ronaldo e Pepe, os jogadores do Real Madrid que se juntaram à equipa este fim de semana depois de uma pausa para férias. “Chegam com a moral nas nuvens depois da final de Milão”, diz, considerando que a vitória do Real na Liga dos Campeões faz com que os atletas portugueses tenham chegado a Lisboa com confiança extra.

“É muito importante para eles e para todos que venham felizes e com este impulso extra”, diz, relativizando o facto de Ronaldo e Pepe terem chegado aos treinos muito mais tarde do que o resto da equipa.

Quanto ao capitão da seleção, Fernando Santos diz que “é seguramente mais importante em Portugal do que em Madrid”, mas que Cristiano Ronaldo “não pode ganhar sozinho”. “Quando tens jogadores que fazem 50 ou 60 golos por época é óbvio que são muito importantes para a equipa. É impossível de quantificar, mas Cristiano não pode ganhar sozinho. Ninguém ganha jogos sozinho”, disse.

Questionado sobre a má experiência no Mundial do Brasil, onde Ronaldo chegou à seleção lesionado, Fernando Santos relativiza e afirma que é impossível que todos os jogadores cheguem a 100% a uma competição deste género. “Em futebol não é verdade [que todos tenham de estar a 100%], mas eu nunca deixaria de convocar o Cristiano se tivesse a 80%”, disse, admitindo que não o teria convocado em caso de lesão.