Uma criança japonesa de dois anos visitava um jardim zoológico, em Chiba (Japão), quando apanhou um susto causado por um leão que ia a correr contra ela e embateu numa divisória que separa a instalação dos animais e a área reservada aos visitantes.

O vídeo captado no jardim zoológico mostra a criança a olhar para o animal por detrás de um vidro, baixo na relva como se se tentasse esconder. Quando vira costas, o leão começa a correr em direção à criança – como os donos de gatos já terão visto os seus animais fazer – e embate contra o vidro com força, fazendo com que a criança se assuste. Pouco depois do embate, o leão afasta-se.

Os trabalhadores do jardim zoológico têm uma versão diferente do que se passou. Segundo os tratadores, o leão, que pesa mais de 180 quilos, estava a tentar apenas brincar com a criança, como é seu hábito. Os tratadores acrescentaram que ao ver uma criança, muitas vezes o leão se põe a tentar brincar com elas.

Tirando o susto, a criança não correu qualquer risco. Este tipo de janelas é um dos sistemas de segurança usados pelos zoos, para que os visitantes possam ver os animais sem barreiras visuais, mas mantendo-se a salvo. Outros dos sistemas usados para felinos podem ser muros de betão ou redes (como referimos aqui).

Para outros animais, as barreiras podem ser vedações de madeira ou arbustos que separam os visitantes da instalação dos animais. O espaço onde se encontram os animais até pode estar em desnível para impedir que os animais saiam do espaço.

Mas apesar dos planos de segurança dos parques zoológicos, os visitantes terão, eles próprios, de respeitar as normas como não se aproximar de certas instalações, não fazer barulho ou não ultrapassar as vedações. O ultrapassar as vedações fez com que uma criança de quatro anos caísse dentro da instalação dos gorilas no Zoo de Cincinnati. Para recuperar o rapaz, o gorila Harambe, teve de ser abatido. Os pais da criança estão a ser investigados em relação ao sucedido.