Mais de três quartos das empresas portuguesas – 76% – não preveem contratar nem reduzir pessoal nos próximos três meses. Esta é uma das conclusões de uma sondagem da Manpower que vai passar a ser realizada em Portugal, a cada trimestre, e que consultou uma amostra de 629 empregadores para esta edição. Segundo a sondagem, 6% das empresas indicam que irão cortar no número de postos de trabalho e 16% esperam contratar mais gente nestes meses de verão, sobretudo nos setores da agricultura, floresta e pescas e, por outro lado, a restauração e hotelaria.

A ManpowerGroup, uma multinacional ligada ao setor dos recursos humanos, trouxe para Portugal um indicador avançado sobre o mercado laboral que já calculava em 43 países. O objetivo é antecipar tendências para a evolução do emprego nos países — e a projeção para Portugal, em termos simples, é de uma estagnação, ainda que seja maior (em 10 pontos percentuais) a percentagem de empresas que prevê contratar mais do que a proporção de firmas que prevê reduzir pessoal.

Segundo a sondagem, os empregadores portugueses do setor da Agricultura, Floresta e Pescas (27%), são aqueles que mais planeiam contratar, com perto de um terço dos inquiridos a referir que planeia aumentar o número de trabalhadores durante o terceiro trimestre. Também na Restauração e Hotelaria as perspetivas são boas, sobretudo no sul do país, com 22% dos inquiridos a sinalizar que poderá contratar mais pessoas nos próximos três meses.

“Parece natural que no Sul, onde o turismo tem maior relevância durante os meses de verão, exista maior necessidade de contratar. Esta ideia parece, aliás, suportada pelo facto de o setor da Restauração e Hotelaria ser um dos que mais preveem reforçar a sua força de trabalho”, afirma Nuno Gameiro, diretor da unidade portuguesa da Manpower, em nota à imprensa. Quando se olha para estes setores numa perspetiva nacional, não só apenas no que diz respeito ao sul do país, fala-se num “otimismo moderado”.

O setor com perspetivas menos positivas – o único com intenções de contratação negativas – é o setor público (-2%). Também em terreno positivo, mas muito modesto, o setor da construção aparece no Manpower Employment Outlook Survey (MEOS) com um número (positivo) de 2%.

“No setor Financeiro, dos Seguros, Imobiliário e Serviços há igualmente uma projeção positiva (+12%), entre as empresas com intenção de contratar e, apesar de menos expressivas, também as percentagens dos setores do Fornecimento de Eletricidade, Gás e Água, do Comércio Grossista e Retalhista, e da Indústria, com (+8%), (+7%) e (+6%), respetivamente, são encorajadoras”, acrescenta o responsável da Manpower.