Na pequena cidade de Kaitangata, no sul da Nova Zelândia, o desemprego não é um problema, muito pelo contrário. Com cerca de mil empregos disponíveis, o número de vagas é tão elevado que não existem pessoas suficientes para as preencher. Por esse motivo, os habitantes decidiram lançar uma campanha inédita na esperança de conseguir atrair novos residentes.

Entre os benefícios oferecidos, contam-se casas e terrenos por 146 mil euros, na esperança de convencer outros neozelandeses a abandonarem as grandes cidades e a mudarem-se para Kaitangata. De acordo com Bryan Cadogan, presidente do condado de Clutha, ao qual pertence Kaitangata, “o desemprego jovem” na cidade “resume-se a dois”. “Não é a 2%, é a apenas dois jovens desempregados”, disse ao Guardian.

Com apenas 800 habitantes, a pequena localidade sempre se viu obrigada a recorrer a trabalhadores de cidades vizinhas, nomeadamente de Dunedin, que fica a mais de uma hora de distância. De acordo com o jornal britânico, a maioria dos empregos disponíveis está ligada às indústrias primárias.

“Quando estava desempregado e tinha uma família para alimentar, Clutha deu-me uma hipótese. Agora quero oferecer essa oportunidade a outras famílias neozelandesas que possam estar a passar por dificuldades”, referiu Bryan Cadogan.