Semanas antes do ataque terrorista em Nice, Mohamed Lahouaiej Bouhlel, autor do atentando, fez uma pesquisa intensiva sobre o ataque conduzido num bar gay em Orlando, nos Estados Unidos, que provocou a morte de 49 pessoas e que foi levado a cabo igualmente por um lobo solitário.

A informação foi avançada por François Molins, responsável pela investigação, com base no histórico das pesquisas online do terrorista de origem tunisina, como explica o El País.

A investigação permitiu, de resto, confirmar o que há muito se sabia: a radicalização de Mohamed Lahouaiej Bouhlel era recente. O histórico de pesquisas online do terrorista permite concluir que o interesse pela atividade do Estado Islâmico existia, mas era “muito recente”, adiantou Molins.

Estas informações permitem juntar algumas peças ao perfil complexo de Mohamed Lahouaiej Bouhlel. Para já, sabe-se que consumia álcool, drogas e carne de porco e que era também frequentador de sites de encontros, que utilizava para se envolver com homens e mulheres, comportamentos altamente condenáveis aos olhos da organização terrorista do Estado Islâmico. Pouco tempo antes do ataque em Nice, Bouhlel procurou saber mais sobre a jihad e deixou crescer a barba. A radicalização acelerada ajuda a explicar o porquê de o terrorista ter escapado aos radares das autoridades francesas.