Omran Daqneesh. O nome foi amplamente difundido na quinta-feira, quando a imagem do menino coberto de pó e com sangue na cara na cidade síria de Aleppo correu mundo. A criança de cinco anos tornou-se um símbolo dos efeitos devastadores da guerra civil na Síria, mas na altura soube-se que tanto Omran como os pais e os três irmãos tinham sobrevivido. Aguardavam cuidados hospitalares e tudo correria pelo melhor.

Agora sabe-se que o irmão de dez anos de Omran não sobreviveu. Ali Daqneesh morreu devido aos ferimentos graves que sofreu num ataque aéreo quando estava a brincar com os amigos na rua, na quinta-feira. Omran e a restante família estavam dentro de casa. Entretanto, já se soube que o menino de 5 anos está a recuperar.

A guerra civil na Síria dura já há cinco anos e duram também os ataques aéreos que destroem casas, empregos e famílias. Em declarações ao The Guardian, uma senhora mãe de dois filhos, que optou por sair de Aleppoo por causa dos bombardeamentos, disse que é preciso tomar medidas: “Todos os sírios, incluindo eu, agradecem as mensagens de pena e de solidariedade. Mas porque é que não nos ajudam a encontrar a paz? O culpado disto tudo é Bashar al-Assad”, defendeu.

Aleppo, cidade no noroeste da Síria, era considerada a capital comercial e industrial do país. Desde 2011 que a cidade tem sido alvo de violentos ataques que resultam do confronto entre rebeldes e forças do Governo.