Um homem foi detido este sábado na zona da Fóia, na serra de Monchique, no Algarve, suspeito de ter ateado vários fogos, disse à Agência Lusa o segundo comandante operacional da Proteção Civil de Faro. De acordo com Abel Gomes, “o homem foi apanhado em flagrante a atear incêndios durante a tarde, tendo sido detido pelas autoridades policiais”.

Abel Gomes explicou à Lusa que a detenção ocorreu depois de os bombeiros terem solicitado a intervenção da Guarda Nacional Republicana (GNR) e da Polícia Judiciária (PJ) “face ao número anormal de ignições que se registaram durante a tarde e, quase à mesma hora, em vários locais do concelho de Monchique”. “Registaram-se ignições durante a tarde em vários locais, perto de estradas e acessos, o que nos levou a pedir a intervenção da GNR e da PJ”, destacou.

Pelas 20h20, registavam-se dois incêndios na zona — um no Porto de Lagos, localidade situada no limite dos concelhos de Monchique e Portimão, e outro no pico da Fóia, na serra de Monchique.”Devido à falta de acessos, o incêndio na Fóia está a arder livremente numa zona de mato, enquanto o fogo em Porto de Lagos, com uma frente ativa mas controlada pelos bombeiros”, frisou o segundo comandante operacional.

No combate aos fogos estão envolvidos 166 operacionais das corporações do Algarve, da Força Especial de Bombeiros, a GNR, a PJ, sapadores florestais e equipas dos serviços municipais de proteção civil de Portimão, Monchique e Silves, apoiados por 48 veículos e três máquinas de rasto. Durante a tarde, as operações de combate ao fogo envolveram também quatro meios aéreos.