O grupo terrorista Abu Sayyaf ficou mais forte depois dos atentados de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos, disse fonte oficial das Filipinas. Martin Andanar, porta-voz do gabinete da presidência filipina, afirmou, no domingo, que os ataques de 11 de setembro de 2001 abriram a “caixa de Pandora” do terrorismo.

“Vêm os extremistas, o Estado Islâmico. O grupo Abu Sayyaf tornou-se mais forte”, disse, citando a alegada fidelidade do grupo terrorista local ao movimento extremista.

Durante o auge da Al-Qaida, que foi responsável pelos ataques de há 15 anos, os militantes do Abu Sayyaf também prometeram lealdade para com a organização terrorista.

Martin Andanar defendeu ainda que os ataques de 11 de Setembro devem ser um ‘lembrete’ de que “todos enfrentam um inimigo sem rosto, os terroristas”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Defendendo que todos devem lutar contra o terrorismo, Martin Andanar apelou à cooperação de cada filipino.

O grupo radical islamita Abu Sayyaf é suspeito de ter sido responsável pelo ataque perpetrado na cidade de Davao, no início do mês, que fez 14 mortos e 70 feridos.

Ao Abu Sayyaf, criado em 1991 por um grupo de ex-combatentes da Guerra do Afeganistão contra a antiga União Soviética, é atribuída a autoria de alguns dos mais sangrentos atentados dos últimos anos nas Filipinas e de inúmeros sequestros, através dos quais se financia.