O grupo terrorista Abu Sayyaf ficou mais forte depois dos atentados de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos, disse fonte oficial das Filipinas. Martin Andanar, porta-voz do gabinete da presidência filipina, afirmou, no domingo, que os ataques de 11 de setembro de 2001 abriram a “caixa de Pandora” do terrorismo.

“Vêm os extremistas, o Estado Islâmico. O grupo Abu Sayyaf tornou-se mais forte”, disse, citando a alegada fidelidade do grupo terrorista local ao movimento extremista.

Durante o auge da Al-Qaida, que foi responsável pelos ataques de há 15 anos, os militantes do Abu Sayyaf também prometeram lealdade para com a organização terrorista.

Martin Andanar defendeu ainda que os ataques de 11 de Setembro devem ser um ‘lembrete’ de que “todos enfrentam um inimigo sem rosto, os terroristas”.

Defendendo que todos devem lutar contra o terrorismo, Martin Andanar apelou à cooperação de cada filipino.

O grupo radical islamita Abu Sayyaf é suspeito de ter sido responsável pelo ataque perpetrado na cidade de Davao, no início do mês, que fez 14 mortos e 70 feridos.

Ao Abu Sayyaf, criado em 1991 por um grupo de ex-combatentes da Guerra do Afeganistão contra a antiga União Soviética, é atribuída a autoria de alguns dos mais sangrentos atentados dos últimos anos nas Filipinas e de inúmeros sequestros, através dos quais se financia.