Os testes nucleares levados a cabo por Kim Jong-un são “profundamente alarmantes”, assegura o ex-chefe do laboratório nuclear da América, Siegfried Hecker. Hecker afirma que, “com dois testes nucleares bem-sucedidos este ano, nós devemos assumir que a DPRK [Democratic People’s Republic of Korea] tem projetado e mostrado ogivas nucleares que podem ser montadas em mísseis de curto ou médio alcance”.

“A sua competência de terem um míssil balístico intercontinental, equipado com uma ogiva nuclear, capaz de atingir os Estados Unidos, ainda irá longe, talvez daqui a cinco ou 10 anos. Mas é possivelmente realizável se o programa não tiver restrições”, disse Siegfried Hecker, citado pelo Evening Standard.

Hecker, ex-director do Laboratório Nacional de Los Alamos, diz que a Coreia do Norte tem vindo a aumentar a capacidade de produzir armas nucleares e a hipótese de vender ogivas a outros governos ou a possíveis terroristas. “Cinco testes conduzidos ao longo de um período de dez anos, suficientemente espaçados para que os resultados de um teste possam informar o próximo teste, são profundamente alarmantes”, escreveu Hecker no 38 North, um website de monitorização criado na University School of Advanced International Studies, em Washington.

O aviso surge depois de os Estados Unidos terem enviado dois bombardeiros BI-B a sobrevoar a Coreia do Sul numa demonstração de força e de compromisso na defesa do país aliado. Vincent Brooks, comandante das forças norte-americanas na Coreia do Sul, afirmou:

O teste nuclear da Coreia do Norte é uma escalada perigosa e representa uma ameaça inaceitável. Os Estados Unidos têm um compromisso inabalável para defender os seus aliados na região e irá tomar as medidas que forem necessárias para fazê-lo.”