As autoridades alemãs, governo e reguladores financeiros, estão a preparar um plano de resgate para o Deutsche Bank, noticia esta quarta-feira o semanário Die Zeit. O Ministério das Finanças da Alemanha já veio, contudo, desmentir a notícia que apresentava esse resgate como um “plano B” caso o banco não consiga angariar capital nos mercados para pagar os custos da litigação nos EUA.

Segundo o Die Zeit, o plano passaria por dar uma oportunidade ao Deutsche Bank para vender alguns ativos a outros bancos — não a preços de saldo mas a preços que garantissem receitas semelhantes ao valor contabilístico desses ativos, caso contrário as vendas poderiam ser penalizadoras para o capital do banco. Não há mais detalhes sobre como se garantiriam esses preços mais confortáveis para os ativos.

Além disso, o plano prevê que o governo alemão pudesse assumir uma participação acionista até 25% no capital do banco, caso fosse necessário. Seria, portanto, uma nacionalização parcial, segundo a informação do Die Zeit, que não especifica onde obteve a informação.

Contactada pela Reuters, fonte do Deutsche Bank desmentiu a notícia e remeteu para a entrevista publicada esta quarta-feira ao presidente John Cryan. Nessa entrevista, Cryan diz que em momento algum pediu ajuda à chanceler Merkel para resolver os problemas do banco.

O Ministério das Finanças garantiu, entretanto, que a notícia é “falsa”.