Os jesuítas escolheram o venezuelano Arturo Sosa Abascal como novo Superior Geral. É a primeira vez que um sacerdote não europeu é escolhido para liderar a Companhia de Jesus, uma das mais importantes da Igreja Católica. A Congregação Geral, o órgão máximo da ordem religiosa, está reunida em Roma desde o dia 3 de outubro, e passou por alguns dias de murmuratio, em que os delegados dos vários países falam em voz baixa sobre quem deve ser o próximo Superior Geral.

A eleição decorreu na manhã desta sexta-feira, em Roma, na Cúria Geral, junto ao Vaticano, “numa sala fechada e sem qualquer contacto com o exterior”, informou a ordem religiosa, em comunicado. Assim que os votos foram contados, o nome do vencedor foi imediatamente comunicado ao Papa Francisco — o primeiro papa jesuíta da história. Artuoro Sosa sucede ao espanhol Adolfo Nicolás, de 80 anos, eleito em 2008. Este ano, Nicolás renunciou ao cargo, devido à idade avançada, sendo convocada uma nova eleição.

Arturo Sosa nasceu em Caracas em 1948, e foi o Superior Provincial na Venezuela entre 1996 e 2004. Atualmente, era delegado do Superior Geral para a Cúria e as casas e obras interprovinciais da Companhia de Jesus em Roma. Além disso, foi investigador no Instituto de Estudos Políticos da Faculdade de Ciências Políticas da Universidade Central de Venezuela e, na mesma universidade, professor da Escola de Estudos Políticos na Cátedra de História das Ideias Políticas da Venezuela.

Os jesuítas são a ordem religiosa mais numerosa da Igreja, contando atualmente com 17 mil membros. Em Portugal há 160 jesuítas, distribuídos por 13 comunidades em dez cidades do país. A companhia sido uma das vozes mais ativas no apoio aos refugiados, através da JRS (Serviço Jesuíta aos Refugiados) e de Plataforma de Apoio aos Refugiados. Além disso, são responsáveis, no país, por colégios, centros universitários, paróquias, casas de retiros, fundações e instituições sociais.