O homem procurado pelos crimes de Aguiar da Beira foi avistado este domingo em Moldes, Arouca, onde terá assaltado uma casa e um carro e sequestrado duas pessoas. Uma operação de caça ao homem de grande dimensão está em marcha em Aveiro. O carro roubado foi, entretanto, visto em Vila Real, na zona industrial. Um médico e amigo de Pedro Dias apelou, entretanto, que ele se entregue e acabe “com o sofrimento da família.”

Segundo confirmou a GNR ao Observador, Pedro Dias terá invadido a casa de uma mulher. Quando o vizinho percebeu que estava a ser assaltada, correu em seu socorro e acabou por também ele ser manietado pelo suspeito. Os dois foram amarrados e amordaçados. O suspeito do crime abandonou o local e fugiu no carro do vizinho que socorreu a primeira vítima. O caso aconteceu às portas de Arouca — de onde Pedro Dias é natural e onde vivem os seus pais. As vítimas, ela de 50 e ele de 64 anos, garantem à GNR que o autor do crime foi Pedro Dias, mais conhecido por “Piloto”.

Captura de ecrã 2016-10-16, às 20.32.31

O carro roubado trata-se de uma carrinha Opel Astra. Segundo o Correio da Manhã, o automóvel é branco e a matrícula é 98-57-EA. O mesmo jornal diz que as estradas de acesso à Serra da Freita e à Serra da Senhora da Hora, em Moldes, estão cortadas. De acordo com a informação inicialmente avançada pelo Diário de Notícias e entretanto confirmada pelo Observador, o carro roubado foi já avistado na zona de Vila Real. “Houve contacto visual entre uma patrulha de Vila Real e a viatura”, explicou o Major Cruz.

No entanto, o responsável da GNR salientou que os militares não conseguiram ver o condutor do veículo, não podendo por isso confirmar que seria Pedro Dias e relacioná-lo com os crimes em Arouca.

O médico de Pedro Dias falou esta noite à comunicação social e apelou ao suspeito dos crimes de Aguiar da Beira e Arouca para se entregar para “acabar com o sofrimento da família”. Vítor Brandão discorda do termo “psicopata” e revelou que Pedro Dias “nunca manifestou um discurso incoerente”. Segundo o médico, que desconhecia que o paciente tinha treino militar, Pedro Dias fazia criação de cavalos lusitanos. “O apelo que faço, espero que ele me oiça, com a amizade que tenho por ele, é que apareça, que se entregue e acabe com o sofrimento da família…”

Pedro Dias, natural de Arouca, é suspeito de ter matado um oficial da GNR e um civil, em Aguiar da Beira, no distrito da Guarda. O homem está a ser procurado desde terça-feira, sendo que chegou a haver notícias que davam conta do seu paradeiro em Salamanca, em Espanha.

Pedro Dias não agiu sozinho. PJ procura os restantes suspeitos

Enquanto a GNR tem montada uma verdadeira caça ao homem e tem operações montadas à procura de Pedro Dias, a Polícia Judiciária — a quem foi entregue o caso por se tratar de um duplo homicídio — está à procura de mais suspeitos. É que o “Piloto”, como era conhecido Pedro Dias, não atuou sozinho quando foi intercetado pela GNR. Com ele estariam alegadamente dois outros suspeitos que fugiram. E quem nunca mais se falou.

Pedro Dias foi abordado por uma patrulha da GNR na madrugada de terça-feira e abriu fogo. Matou de imediato um dos militares e enfiou-o na bagageira do carro patrulha. Foi junto ao corpo deste militar que foi encontrada a sua identificação — uma vez que era ele que conduzia o carro cuja presença a GNR considerou suspeita.

De seguida sequestrou o outro militar e amarrou-o a uma árvore. Depois mandou uma viatura parar e abriu fogo contra o casal que seguia no seu interior. O homem morreu e a mulher está internada em estado grave.

Depois de lançado o alerta da sua fuga, algumas notícias davam conta de que estaria em Espanha e que teria sido avistado em vários locais próximos de Salamanca. Teria mesmo furtado um carro. A confirmar-se que esteve domingo voltou à sua terra natal para um assalto, as informações de Espanha acabam por cair por terra.

Artigo atualizado às 19h56 com a informação de que o carro roubado supostamente por Pedro Dias foi avistado em Vila Real.