Quatro farmacêuticos foram detidos na zona do Grande Porto por suspeita de uma fraude de cerca de um milhão de euros ao Serviço Nacional de Saúde (SNS), anunciou esta quinta-feira a PJ em comunicado. Os dois proprietários e respetivos diretores técnicos das suas farmácias são suspeitos de burla qualificada, corrupção, falsificação de documento agravado e falsidade informática.

“De acordo com os elementos apurados, a atividade criminosa consistia num esquema fraudulento de venda fictícia de medicamentos através da emissão de receitas médicas fictícias, a fim de que a taxa de comparticipação paga pelo Estado revertesse para os suspeitos”, adianta a PJ.

No âmbito de investigações a práticas de fraude ao Serviço Nacional de Saúde (SNS), em inquéritos titulados pelo Ministério Público – DIAP do Porto, foram realizadas várias buscas na área metropolitana do Porto. Segundo a PJ, ” foi recolhida prova que indicia fortemente a prática deste esquema fraudulento, tendo-se apurado um valor de fraude ao SNS aproximado de um milhão de euros nas três farmácias buscadas.”

Os detidos, entre os 36 e os 65 anos, foram presentes a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação.