Viana do Castelo

Homem de 60 anos morre soterrado em pedreira de Caminha

Um homem com 60 anos morreu esta sexta-feira soterrado por areia numa pedreira em Vila Praia de Âncora, no concelho de Caminha, disse à Lusa fonte da GNR.

JOSE SENA GOULAO/LUSA

Um homem com 60 anos morreu esta sexta-feira soterrado por areia numa pedreira em Vila Praia de Âncora, no concelho de Caminha, disse hoje à Lusa fonte da GNR.

De acordo com a fonte do Comando Territorial da GNR de Viana do Castelo, o alerta foi dado cerca das 14h20, tendo sido desencadeada uma operação de busca e resgate terrestre com apoio dos bombeiros voluntários de Vila Praia de Âncora.

Terá ocorrido um desabamento de areias e o homem ficou soterrado. Tudo indica tratar-se de um acidente de trabalho mas só a investigação é que o irá determinar, adiantou aquela fonte.

Segundo a GNR, “a morte do homem foi confirmada no local pela Viatura de Emergência Médica (VMER) estacionada no hospital de Santa Luzia, em Viana do Castelo”.

Contactado pela Lusa, um antigo funcionário da empresa proprietária daquela exploração, entretanto declarada insolvente, afirmou tratar-se de:

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Sindicatos

Vivam as greves livres

Nuno Cerejeira Namora

Estes movimentos têm de ser encarados como o sintoma de um mal maior: a falência do sindicalismo tradicional e a sua incapacidade de dar resposta às legítimas aspirações dos seus filiados.

Sindicatos

Vivam as greves livres

Nuno Cerejeira Namora

Estes movimentos têm de ser encarados como o sintoma de um mal maior: a falência do sindicalismo tradicional e a sua incapacidade de dar resposta às legítimas aspirações dos seus filiados.

Sri Lanka

Ataque terrorista à geografia humana de Portugal

Vitório Rosário Cardoso

É quase indissociável desde o século XVI na Ásia marítima a questão de se ser católico e de se ser Português porque afirmando-se católico no Oriente era o mesmo que dizer ser-se Português. 

Museus

Preservação do Património Cultural

Bernardo Cabral Meneses

As catástrofes ocorridas no Rio de Janeiro e em Paris deverão servir de exemplo para ser reforçada a segurança contra incêndios nos edifícios e em particular nos museus portugueses.

Liberdades

Graus de liberdade /premium

Teresa Espassandim

Ninguém poderá afirmar que é inteiramente livre, que pouco ou nada o condiciona, como se a liberdade significasse tão só e apenas a ausência de submissão e de servidão.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)