O Ministério da Saúde vai distribuir bombas de insulina para doentes com diabetes do tipo 1 – o tipo de diabetes que mais afeta as crianças e jovens-, de forma faseada, sendo que até então o dispositivo estava apenas disponível a crianças até aos cinco anos, adianta o Diário de Notícias.

O programa é dividido em três anos, sendo que inicialmente, já no próximo ano, serão distribuídas bombas a 230 crianças até aos 10 anos. Até 2018 espera-se que as crianças até aos 14 anos sejam todas abrangidas e, por fim, que até 2019 todos os jovens até aos 18 anos. O objetivo é ajudar a controlar a doença e garantir uma melhor qualidade de vida.

As bombas de insulina que irão ser distribuídas têm que ser programadas pela própria pessoa ou por quem cuida da mesma, sendo que a bomba vai libertando, ao longo do dia, pequenas doses de insulina que ajudam a controlar os níveis de açúcar no sangue. As bombas substituem as cinco – ou mais – doses que o mecanismo tradicional obriga e que têm de ser injetadas.

De acordo com o despacho do Ministério da Saúde, é necessário redefinir os objetivos para que um maior número de pessoas seja abrangido por este projeto, uma vez que são os dispositivos distribuídos são insuficientes para as necessidades encontradas.

Para que o projeto seja possível, existe uma ligação entre a Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), pelos serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), pela Empresa de Pesquisa energética (EPE), pela Autoridade Nacional de Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) e pela Direção Geral de Saúde (DGS).