Portugal vai aumentar, em 2017, a sua quotização de participação na agência espacial europeia ESA, de 14 milhões para 19 milhões de euros, anunciou esta sexta-feira, no parlamento, o ministro da Ciência, Tecnologia e do Ensino Superior.

Manuel Heitor falava aos jornalistas, no final do debate na especialidade da proposta de Orçamento do Estado para 2017.

O ministro adiantou que, em contrapartida, a ESA vai consagrar “um programa específico para a observação da Terra no Atlântico”, em que Portugal será o “principal país” dinamizador, “em estreita relação com Espanha”.

Portugal é membro da ESA desde 14 de novembro de 2000. O próximo conselho ministerial da agência espacial europeia, onde têm assento os ministros dos países-membros com a tutela científica, realiza-se em dezembro.

Manuel Heitor acrescentou que o Governo está a trabalhar com os parceiros, nomeadamente com as empresas, para, em 2017, haver “um novo modelo de organização de desenvolvimento científico, tecnológico e empresarial” no setor do espaço.

O ministro avançou, sem concretizar pormenores, que o ministério irá apresentar ao parlamento uma proposta para reforçar os incentivos fiscais às empresas que contratem doutorados, que vise, designadamente, as pequenas e médias empresas e as companhias portuguesas que colaboram em projetos internacionais.

O Governo pretende, ainda, incluir as montanhas nacionais na rede europeia da biosfera.