O ex-ministro da Economia francês, Emmanuel Macron, vai mesmo ser candidato às presidenciais francesas. Depois de várias notícias que davam conta dessa possibilidade, o líder do movimento “Em Marcha!”, criado em abril deste ano, oficializou a sua candidatura esta quarta-feira de manhã, numa escola na região de Bobigny, perto de Paris.

Estou a concorrer para a presidência porque acho que podemos ter sucesso, a França pode ter sucesso. Vejo a minha candidatura como um símbolo de esperança”, afirmou Emmanuel Macron no início do discurso, segundo o Le Monde.

De acordo com o jornal francês, o discurso de 20 minutos, centrou-se em transmitir esperança a todos os franceses, especialmente aos jovens: “O meu objetivo não é aliar-me à direita nem à esquerda, mas sim reunir os franceses, por uma transformação do nosso país. Não é uma luta contra ninguém, é uma luta de todos nós, para os nossos filhos”, referiu Macron.

Do discurso do ex-ministro da Economia destaca-se ainda a proposta de uma “revolução democrática”; as ideias para revitalizar a Europa e dar prioridade à globalização; e a “proteção dos mais fracos”.

Emmanuel Macron vai juntar-se, na corrida às presidenciais, a Nicolas Sarcozy, Marine Le Pen e Alain Juppé. François Hollande, pode ainda recandidatar-se a um segundo mandato e a sua decisão deverá ser anunciada no final deste ano.

Macron foi ministro da Economia francês durante dois anos, entre agosto de 2014 e agosto de 2016, e apresentou a sua demissão este ano para se poder candidatar às eleições presidenciais.