Paulo Macedo tem sido um dos nomes mais falados para substituir António Domingues à frente da Caixa Geral de Depósitos (CGD), no caso de uma eventual saída da atual administração, mas o primeiro-ministro António Costa pode, afinal, estar a guardar o antigo ministro da Saúde para o cargo de vice-governador do Banco de Portugal, escreve, esta quarta-feira, o Público. O jornal, que cita “várias fontes políticas”, afirma que Macedo só será opção para a Caixa caso o Governo fique sem alternativas.

A ida de Paulo Macedo para o Banco de Portugal (BdP) necessita, contudo, da aprovação de Carlos Costa. E, segundo o Público, o governador já terá informado o Governo de que o antigo ministro de Passos Coelho será uma boa escolha para o apoiar na liderança do Banco. Também o Presidente da República, a quem cabe a homologação dos nomes propostos para o banco central, apoiará a escolha de Paulo Macedo.

O Banco de Portugal tem dois lugares de vice-governador à disposição. Pedro Duarte Neves, nomeado pela primeira vez em 2006 e novamente em 2011, terminou o limite de dois mandatos. Já José Ramalho, nomeado em 2011, poderá ainda avançar para um novo mandato, mas não é certo que seja reconduzido.

A escolha de Paulo Macedo para um lugar de vice-governador será um passo no plano do Governo de colocar no banco central uma equipa mais política e menos técnica. O outro nome seria o da antiga eurodeputada do PS Elisa Ferreira, que já está no Banco de Portugal desde o verão deste ano, num lugar cimeiro da instituição.