O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, acredita que o Presidente eleito dos Estados -Unidos, Donald Trump, é um líder em que pode ter “grande confiança”, segundo declarou após uma reunião entre os dois em Nova Iorque.

Abe, que fez uma paragem de menos de 24 horas nos Estados Unidos a caminho de Lima, onde vai participar no Fórum de Cooperação Económica Ásia Pacifico (APEC), é a personalidade estrangeira de mais alto nível a reunir-se com Trump desde que este venceu as eleições presidenciais norte-americanas de 8 de novembro. Em declarações aos jornalistas após a reunião, na quinta-feira, Abe descreveu o encontro com Trump como “franco” e “cordial”, mas não disponibilizou pormenores sobre a conversa.

“Creio que sem confiança entre as nações, a aliança [entre os países] nunca poderia funcionar no futuro. Como resultado da discussão de hoje estou convencido de que Trump é um líder em que posso ter uma grande confiança”, afirmou o primeiro-ministro japonês.

A reunião durou 90 minutos, segundo fontes da equipa do Presidente eleito, e decorreu na Torre Trump, que se tornou o quartel-general do magnata durante o período de formação do seu futuro Governo. O encontro aconteceu depois de, durante a campanha, Trump ter criticado países como o Japão pelos gastos que os Estados Unidos têm de cobrir para assegurar a sua defesa.

Trump chegou também a recomendar que o Japão e a Coreia do Sul obtenham armas nucleares para se protegerem de ameaças como a do regime de Pyongyang. Durante a campanha, Trump foi muito crítico de tratados comerciais como o que vincula as três nações da América do Norte ou o Tratado Transpacífico (TPP) e ameaçou rever estes acordos quando chegar à Casa Branca.

Não se sabe se estes temas surgiram durante a reunião entre Abe e Trump.