Das 72 espécies conhecidas de raias e tubarões existentes no Mediterrâneo — 39 enfrentam “risco elevado de extinção” — advertiu a organização de conservação num relatório divulgado em Espanha.

O relatório coloca na categoria de “estado crítico” de ameaça de extinção 12 espécies de tubarões e oito espécies de raias. Nesta categoria estão o tubarão-martelo (Sphyrna zygaena), o tubarão-branco (Carcharodon carcharias) e o tubarão-azul (Prionace glauca).

A IUCN, sediada em Genebra, adianta no relatório que o nível de conservação de 11 espécies de tubarões e raias do Mediterrâneo se deteriorou desde a última avaliação, realizada em 2007. Nos últimos 50 anos, 13 espécies de tubarões e raias foram declaradas extintas em várias zonas do Mediterrâneo devido à pesca excessiva, indica ainda o relatório da IUCN. Fenómenos de extinção localizados ocorreram sobretudo em águas de Espanha, França e Itália, em alguns países do noroeste africano e em zonas costeiras do Mar Adriático.

O relatório apela para que os governos estabeleçam quotas de pesca sustentáveis e para que criem zonas protegidas, enquanto os consumidores devem ser alertados para o impacto que tem o consumo deste tipo de espécies. Tubarões e raias são particularmente vulneráveis à pesca excessiva porque a maioria das espécies demora vários anos a atingir a maturidade reprodutiva e produz um número reduzido de crias.