Dia 4 de Janeiro estará à venda no seu país de origem o novo Swift. Daí que a Suzuki tenha já revelado no país do Sol Nascente a nova geração do seu utilitário, tendo os mercados de exportação (Europa incluída) que aguardar por Março do próximo ano para conhecer o modelo mais de perto, uma vez que a sua estreia no Velho Continente está marcada para o Salão de Genebra, iniciando-se pouco depois a respectiva comercialização.

Proposta determinante para a marca japonesa (vendeu mais de 5,3 milhões de unidades, a nível global, desde o seu lançamento em 2004), o Swift da nova geração é um automóvel totalmente novo, mas, propositadamente, apresenta bastantes e evidentes parecenças relativamente ao seu antecessor, assim procurando beneficiar do respectivo êxito. Mas isso sem deixar de usufruir de uma aparência moderna e, ao mesmo tempo, mais distinta e madura do que a do seu antecessor.

Assente numa nova plataforma, mais leve e rígida, denominada Heartect, o Swift da nova geração é proposto, no Japão, com dois motores a gasolina, ambos já conhecidos do novo Baleno. A versão de acesso recorre a uma solução “semi-híbrida”, composta pelo propulsor 1.2 Dualjet e por um pequeno motor eléctrico, combinado com uma caixa manual de cinco velocidades, enquanto que a versão RS faz uso do 1.0 Boosterjet, ao qual está acoplada uma nova caixa automática de seis relações. Em ambos os casos, esperam-se consumos de referência.

No mercado doméstico, o modelo será proposto com nada menos do que seis níveis de equipamento (na Europa, a oferta deve ser mais simplificada), sendo que para todos, à excepção do mais básico, está disponível o opcional “Safety Package”, que marca a estreia na Suzuki do assistente de máximos e do sistema de travagem autónoma em cidade, dotado de uma câmara e de sensores de laser, contando ainda com o cruise control adaptativo. Também aqui, é expectável que a versão europeia integre vários destes elementos como equipamento de série, até porque a Suzuki não deixará de almejar alcançar cinco estrelas nos testes de segurança do Euro NCAP.

Para já, não são conhecidos mais detalhes relevantes acerca do novo Swift. Mas será legítimo contar com uma habitabilidade mais generosa (até porque a distância entre eixos aumentou), com uma mala de maior capacidade e com um interior mais moderno e sofisticado.