Património Cultural

Mosteiro de Odivelas vai passar para as mãos da autarquia até fevereiro

448

O Mosteiro de Odivelas, onde ficava instalado o Instituto de Odivelas, vai passar para as mãos da autarquia depois de mais de um ano de negociações. O valor da transação está a ser negociado.

Diz a lenda que o Mosteiro de Odivelas foi fundado por causa de uma promessa feita por D. Dinis

JOÃO RELVAS / LUSA

O Mosteiro de Odivelas, onde esteve instalado até 2015 o Instituto de Odivelas, vai passar para as mãos da autarquia até ao final de fevereiro, confirmou ao Observador o Gabinete do Ministro da Defesa Nacional.

O Mosteiro de Odivelas, construção que remonta ao século XIII, encontra-se vazio desde 2015, data em que as alunas do Instituto de Odivelas foram transferidas para o Colégio Militar. A instituição de ensino, tutelada pelo Exército, funcionava em Odivelas desde a sua fundação no início do século XX pelo irmão do rei D. Carlos, o Infante D. Afonso.

Desde que fechou portas no ano letivo de 2015/2016 que a Câmara Municipal de Odivelas tem estado em negociações com o Exército para que o edifício — onde se encontra o túmulo do rei D. Dinis (que neste momento está a ser alvo de uma intervenção de limpeza e conservação) — passe a fazer parte do património da autarquia. Processo que finalmente irá chegar ao fim.

De acordo com o Gabinete do Ministro da Defesa Nacional, o mosteiro encontra-se atualmente “num processo de cedência à Câmara Municipal de Odivelas, decorrendo neste momento negociações entre aquela autarquia e o Ministério das Finanças, a quem compete por lei a definição dos valores pecuniários envolvidos“. “Prevê-se que entrega definitiva deste edifício patrimonial possa ocorrer ainda este mês, ou até final de fevereiro.”

Contactado pelo Observador, o Ministério das Finanças adiantou que “o plano de pagamento da contrapartida pela cedência do imóvel está, ainda, a ser discutido” com o município, “tendo a última comunicação entre ambos quanto a este plano ocorrido no final da passada semana”.

Na resposta dada ao Observador, o Ministério da Defesa garantiu ainda que, desde 2016, “esteve atento à situação daquele edifico patrimonial para evitar a entrada de estranhos e a sua vandalização”.

Artigo atualizado às 10h de 4/01/2017 com a resposta do Ministério das Finanças

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rcipriano@observador.pt
Conflitos

Mediterrâneo

Luis Teixeira

Huntington defendeu, como Braudel, que a realidade de longa duração das civilizações se sobrepõe a outras realidades, incluindo os Estados-nação em que se supôs que a nova ordem mundial iria assentar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)