Quatro portugueses morreram e e outras 28 pessoas ficaram feridas, três em estado grave, num acidente de autocarro que transportava emigrantes portugueses numa estrada no centro da França. As vítimas são de várias localidades dos concelhos de Vila Nova de Foz Côa, Penafiel e Lousada.

Lídia e José Montez, com cerca de 60 anos, de Freixo de Numão, em Vila Nova de Foz Coa estavam imigrados na Suíça e regressavam depois de terem vindo a Portugal passar o Natal. As duas outras vítimas mortais também serão de Foz Côa e um dos feridos será uma criança de 10 anos.

O proprietário da empresa Rota das Gravuras, responsável pelo transporte, esclareceu que os passageiros são emigrantes e pessoas de férias que regressavam depois de terem estado em Portugal em visita às famílias. A bordo seguia um grupo de 13 pessoas do concelho de Penafiel, distrito do Porto, sendo as restantes de localidades do concelho de Vila Nova de Foz Côa, distrito da Guarda.

Narciso Ângelo contou que já falou com o filho, um dos dois motoristas que seguia no autocarro e que se encontra a realizar exames médicos, o qual lhe disse que a causa do despiste terá sido “o gelo que estava de madrugada na estrada”, acrescentando que o acidente ocorreu quando o veículo atravessava uma ponte.

O acidente ocorreu na estrada nacional 79, chamada RCEA (Estrada Centro Europa e Atlântico), considerada perigosa, por volta das 4h30 (3h30 em Lisboa), perto da localidade de Charolles, no município de Saône-et-Loire, no centro de França, e envolveu um autocarro com cerca de 40 lugares, segundo a edição online da Creusot-Info, citada pela agência francesa France Press.

“O mais provável é um piso escorregadio, uma perda de controlo devido a uma velocidade pouco adaptada a estas condições de circulação. Isto parece o mais provável, mas cabe ao inquérito identificar as causas”, adiantou o prefeito de Saône-et-Loire, Gilbert Payet.

“O condutor perdeu o controlo do autocarro. Segundo testemunhos, ele teria perdido o controlo um certo tempo antes do local do acidente, antes de passar as barreiras de segurança. Estamos num período de alerta de neve e de gelo, as condições climatéricas não eram excelentes. Cabe ao inquérito verificar se o autocarro circulava a uma velocidade adaptada a estas condições”, acrescentou.

O autocarro partiu de Penafiel, passou por Vila Nova de Foz Côa e tinha como destino Genebra e Friburgo, na Suíça.

Secretário de Estado relembra acidente antigo

José Luís Carneiro, secretário de Estado das comunidades portuguesas não confirmou ainda a identidade das vítimas, mas em declarações à RTP lamentou o acidente e disse que o local é considerado perigoso e lembrou que foi nessa estrada onde há um ano atrás morreram também 12 portugueses num outro acidente. “Aconteceu numa estrada muito perigosa. Há a lamentar mais este acidente e apresentar as condolências à família”, afirmou.

O secretário de Estado avançou que o consulado português, em Lyon, está em contacto com as autoridades policiais para apoiar todas as diligências e prestar o devido apoio aos feridos. “Está a ser feito um trabalho que visa a identificação dos sinistrados entre o consulado de Lyon e o de Genebra, que era para onde se dirigia o autocarro”, salientou.

Marléne Germain, chefe de gabinete da perfeitura de Saône-et-Loire explicou que o acidente ocorreu de madrugada. “Era um autocarro com 32 pessoas a bordo, que cirulava na RCEA e se despistou.Estamos a prestar todo o apoio aos envolvidos”

Marcelo lamenta mortes

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, já lamentou a morte dos portugueses no acidente rodoviário em França, expressando “sentidas condolências” às respetivas famílias. “O Presidente da República manifesta o seu profundo pesar pela morte dos quatro cidadãos de nacionalidade portuguesa, esta madrugada num acidente de viação em França”, lê-se numa mensagem disponibilizada no sítio da Internet da Presidência.

A mensagem refere ainda que Marcelo Rebelo de Sousa “acompanha o evoluir da situação clínica de todos os feridos, em especial daqueles que se encontram em situação mais grave, a quem deseja a rápida recuperação”.

Fonte da polícia francesa confirmou que “o autocarro transportava 32 pessoas, morreram quatro e há alguns feridos graves”, mas não precisou as nacionalidades das vítimas mortais do acidente, que ocorreu no distrito de Saône-et-Loire, no centro de França.