Há mais um vídeo português anti-Trump. Vem diretamente da ilha da Madeira, com muito sotaque, e sai da onda dos países querem ser segundos, depois da ‘great’ América. A Madeira quer mesmo ser “first”, pelo menos na subcategoria de ilhas.

Repetindo palavras de que Donald Trump tanto gosta, como “it’s amazing”, “it’s incredible”, “huge”, o vídeo enumera as coisas boas da ilha do Atlântico que podem ou surpreender ou agradar ao presidente americano.

Há, claro, o vinho da Madeira, com que, lembram os autores do vídeo (produções 4Litro), se brindou durante na declaração de independência dos EUA e cuja garrafa mais cara de sempre, 30 mil euros, foi vendida em Nova Iorque.

E depois há, obviamente, muitas piadas secas, desde “small” bananas, comparadas com outras coisas “small” que não as “ball” da estátua de Ronaldo. Porque, lembram é de Santo António (Madeira e não México) o melhor jogador de futebol (“soccer”) do mundo, e também são madeirenses os ukeleles tocados no 50º estado americano, o Hawai, e o seu real nome é braguinhas.

Por último um conselho: ou melhor, a sugestão de um encontro entre Donald Trump e Alberto João Jardim, para Trump ouvir conselhos do homem que mais tempo esteve democraticamente à frente de um governo (regional, é certo, mas isso são “peanuts”).