A polícia federal norte-americana (FBI) interrogou Michael Flynn, antigo chefe do Conselho de Segurança do Presidente dos Estados Unidos, sobre as conversas telefónicas com o embaixador da Rússia, noticia esta quarta-feira o The New York Times. O interrogatório do general Flynn, conduzido por investigadores do FBI e cujo conteúdo permanece desconhecido, ocorreu nos primeiros dias de Governo de Donald Trump, que tomou posse a 20 de janeiro.

Questionado pela agência noticiosa AFP, o FBI recusou comentar a informação divulgada pelo The New York Times. Os investigadores saíram do interrogatório a acreditar que o general não tinha sido completamente honesto, precisa o jornal. Segundo o The New York Times, logo após o interrogatório, a antiga secretária da Justiça Sally Yates alertou que um alto funcionário da Casa Branca era vulnerável ao risco de chantagem pelos russos.

Donald Trump estava ciente do que se passada e sabia “há semanas” que Michael Flynn tinha enganado Michael Pence e outros funcionários da Casa Branca, afirmou o porta-voz do Presidente, Sean Spicer. Caso seja provado que o general Flynn fez declarações falsas ao FBI, poderá ser processado por aquele motivo.