A petição para que o peso das mochilas seja diminuído é entregue hoje, sexta-feira, no parlamento. A petição em causa é uma das que mais assinaturas recebeu desde sempre com quase 50 mil inscritos. o documento tem como objetivo diminuir o peso excessivo que as crianças carregam às costas quando vão para escola.

Todas as alas parlamentares, da esquerda à direita, estão de acordo com o que defende a iniciativa: é mesmo preciso alterar este cenário, só falta saber o quê e como. De acordo com a rádio TSF, todos os partidos com assento parlamentar manifestaram apoio à causa, não só porque o problema existe realmente, porque também já o sentiram em casa com os seus filhos, como conta a TSF.

Contactado pela rádio, o deputado do PS, Porfírio Silva, que também coordena o Grupo Parlamentar na Comissão de Educação afirmou que “o problema é real e que é importante em termos de saúde e bem-estar”, no então não se quis comprometer com promessas de algo concreto. Pelo PCP, Ana Mesquita ressalvou o facto de ser importante reunir um grupo de trabalho para analisar a problemática. Mariana Mortágua, do BE, apresentou alternativas à TSF como a digitalização dos livros e a colocação de mais cacifos nas escolas.

Nas bancadas parlamentares de direita a preocupação é sentida de igual maneira. Amadeu Albergaria, do PSD, e coordenador do Grupo Parlamentar na Comissão de Educação, defendeu a mesma que medida que o Bloco de Esquerda ao digitalizar-se os livros. Pelo CDS, a deputada Ana Rita Bessa apelidou o peso das mochilas de “peso desmesurado”, no entanto foi a única bancada a apresentar algumas reticências. Isto porque, na opinião da deputada, os hábitos de organização das escolas e a forma como os professores organizam as aulas, são coisas difíceis de se mudar.

Recorde-se que a petição foi lançada por um grupo de quatro pessoas, do qual o ator e encenador José Wallenstein faz parte, lançaram a petição para que o peso excessivo das mochilas das crianças fosse revisto. A iniciativa teve bastante impacto sendo que até ao momento a petição conta com 48.115 pessoas que já assinaram a causa. É hoje entrega no Parlamento.