“Claro que as mulheres ganham menos que os homens. Elas são mais fracas, mais pequenas e menos inteligentes, por isso devem ganhar menos. É tudo”. As palavras saíram da boca do eurodeputado polaco Janusz Korwin-Mikke e levantaram uma onda de indignação contra os comentários do político. Iratxe Garcia-Perez, eurodeputada espanhola, ainda ergueu a voz para jurar defender as mulheres europeias de pessoas que partilhavam daquela opinião, mas Janusz Korwin-Mikke não parou por aí. Na tarde de 3 de março escreveu no Facebook: “As mulheres afinal são mais inteligentes do que os homens. Como é que sabemos? Porque nunca vi uma mulher a fazer-se a um homem por ter boas pernas”.

É precisamente contra a mentalidade de Janusz Korwin-Mikke que se celebra esta quarta-feira o Dia da Mulher. Em março de 1911, as trabalhadoras de uma fábrica norte-americana morreram num incêndio nas instalações onde foram trancadas por estarem a lutar por uma diminuição na carga horária (trabalhavam 16 horas por dia) e por um aumento no salário (muito inferior ao dos funcionários homens). Cento e trinta mulheres perderam a vida em nome de uma batalha que já durava desde os finais do século XIX. Em pleno século XXI, a batalha ainda não terminou.

O Observador recorda aqui as mulheres “mais fracas” e “menos inteligentes” que mudaram o mundo. Aquelas que inventaram o colete à prova de bala que hoje serve de escudo para os polícias. Aquelas que inventaram os softwares com que agora podemos ligar um computador e aceder a um mundo de informação. Aquelas que descobriram a matéria de que somos feitos – o ADN -, mas cujos louros foram entregues aos colegas homens. E aquelas que nos explicaram como funciona o Sol, como são as nossas células ou como podemos usar a radioatividade a nosso favor.

Veja as grandes mulheres da História e as suas invenções e descobertas na fotogaleria.