"Não sacrifiquem a maternidade pelo trabalho, ninguém vos vai agradecer por isso"

Carme Chacón fez um último discurso três dias antes de morrer e as suas últimas palavras em público transformaram-se no seu testamento. Leia aqui as frases mais marcantes da antiga ministra espanhola.

i

AFP/Getty Images

AFP/Getty Images

Carme Chacón tornou-se num símbolo da luta pela igualdade de género em Espanha, por ter sido a primeira mulher nomeada para o cargo de ministra da Defesa. Não foram tempos fáceis — o El Español recorda os “vexames machistas que Carme Chacón sofreu por ser ministra da Defesa e mulher”. Enquanto ocupou um cargo que até então sempre tinha pertencido a homens, Chacón protagonizou momentos que ficarão para a história das mulheres na política em Espanha: exemplo claro disso é a icónica fotografia da governante, grávida de sete meses, a passar revista às tropas no Afeganistão.

https://www.facebook.com/CentroCulturalEspanoldeMiami/posts/1392319754124335

Foi assim até ao fim da vida. Carme Chacón morreu este domingo, mas apenas três dias antes tinha feito um discurso emotivo em Miami sobre o papel das mulheres na política, numa iniciativa promovida pelo Centro Cultural Espanhol de Cooperação Iberoamericana de Miami.

No curto discurso, que o El Español publicou na íntegra, Chacón refletiu, perante cerca de 70 pessoas, sobre a sua vida, a sua experiência na política e deixou conselhos a mulheres e a homens. Uma mensagem quase profética, poderá dizer-se. O jornal escreve que este discurso, proferido “menos de três dias antes da sua repentina morte, converteu-se, sem ela o saber, no seu testamento”. Recordamos algumas das principais passagens daquele discurso.

Sobre a vida política:

Perguntam-me muitas vezes em que dia decidi fazer política. Alguém me disse um dia: olha, eu nunca fui jovem, a história do meu país roubou-me a juventude, e quero que entendas que às vezes preciso de comprovar coisas que nunca vivi e que às vezes preciso de viver. Desde esse momento, tive a sensação de que tinha uma espécie de obrigação de que nunca uma neta ou um neto escutem uma frase como esta do seu avô.”

A política rouba-te muitíssimo tempo. O tempo do ócio, os fins de semana, e sobretudo rouba-te o anonimato. Por isso, há que saber o que te move, porque estás ali. Há dias maus, há dias péssimos, mas saber qual é o motor, quais as motivações, é o que nos faz melhorar.”

Aprendi com Felipe González a ter empatia, a ser capaz de me pôr nos sapatos do outro. Seguindo estes parâmetros, aprendi que para o êxito da minha gestão à frente do Ministério da Defesa, ia, em primeiro lugar, saber o que é que queria fazer nos meus quatro anos à frente do mesmo, qual era a marca que queria deixar ali.”

Sobre a maternidade e os direitos das mulheres:

Se quiserem ser mães, não sacrifiquem a vossa maternidade pelo trabalho. Ninguém vos vai agradecer por isso. O mesmo para os homens. Desfrutem. Podem fazer-se, sem dúvida nenhuma, ambas as coisas.”

Como disse Giaconda Belli: “Não há nada mais poderoso do que uma mulher. Tem mais poder do que o músculo. Tem mais poder do que as armas. Não há nada mais poderoso do que uma mulher, porque tem por detrás o poder da Igualdade. Tem por detrás o poder de todas as mulheres.”

Recomendamos

Populares

Últimas

A página está a demorar muito tempo.