Numa época em que a robótica já faz parte do dia-a-dia da indústria automóvel, a começar pela utilização de robôs nas linhas de produção de praticamente todos os construtores automóveis, a Toyota assume uma nova aplicação para esta tecnologia, através da disponibilização de uma espécie de robô assistente, especialmente vocacionado para a reabilitação de vítimas de acidente vascular cerebral, que ficaram com sequelas físicas.

Esta nova solução foi, segundo acrescenta a marca nipónica em comunicado, desenhada especificamente para ajudar na reabilitação de pessoas com paralisia nos membros inferiores, causadas não somente por acidente vascular, mas também por outros motivos.

Denominado Welwalk WW-1000, o equipamento incorpora várias funções de apoio à reabilitação, visando a reaprendizagem da capacidade motora, com o nível de dificuldade dos exercícios a poder ser ajustado em função do estado do paciente.

3 fotos

Ainda segundo o fabricante automóvel, o objectivo desta aposta na robótica para a área da saúde passa por disponibilizar este novo assistente na recuperação de pessoas vítimas de paralisia parcial, através de um sistema de aluguer, já a partir do Outono deste ano.

Refira-se que, no seguimento daquela que é a visão da companhia em termos de robôs assistentes (intitulada “Liberdade de Mobilidade para todos e a Satisfação de Ser Autónomo”), e numa tentativa de responder ao crescente envelhecimento da população, a Toyota conta já com soluções robóticas para quatro áreas específicas da saúde: na assistência vital a idosos, na assistência médica, na assistência vital individualizada e na assistência ao bem-estar. Soluções que, afirma o fabricante, permitem às pessoas idosas levar uma vida mais independente, ao mesmo tempo que também servem de ajuda para os próprios cuidadores.

O desenvolvimento de robôs para a área da saúde, por parte da Toyota, começou em finais de 2007, através de uma colaboração com o Hospital Universitário Fujita Health, em Toyoake, no Japão. Onde, desde 2011, têm vindo a ser realizados testes-piloto. Já depois disso, entre 2014 e finais do passado mês de Março, foram instalados robôs assistentes de ajuda à recuperação do andar em 23 centros médicos em todo o Japão, para fins de investigação clínica.

Até ao momento, conforme avança a marca nipónica, tanto os pacientes, como o pessoal de apoio que participa na investigação clínica, asseguram que o robô tem potencial para ajudar na recuperação da mobilidade nas extremidades inferiores. Tendo, inclusive, esta solução já sido autorizada e certificada oficialmente.