Fotogaleria

Fotogaleria. Cravos vermelhos, Zé Povinho e portas abertas

No 25 de Abril domina a cor. Primeiro o vermelho dos cravos. Depois as cores das personagens que vão ao desfile. A seguir a dos murais pintados em São Bento. A cor é festa e a festa é liberdade.

ANDRÉ MARQUES / OBSERVADOR

São sempre os cravos a dar cor na lapela dos fatos escuros da cerimónia. Ou os molhos das flores que decoram a Assembleia da República. Com cravos, as fotografias são sempre melhores, mais vivas, mais contrastantes. No dia 25 de Abril de 1974 distribuíram-se cravos vermelhos e cravos brancos pelas ruas, que passaram para as espingardas dos soldados. Mas os cravos brancos desapareceram das comemorações. O desfile na Avenida da Liberdade e a festa nos jardins da residência oficial de São Bento — por onde passeava Salazar no outro tempo — ilustram um dia de festa e celebração. Trabalhos de Henrique Casinhas e André Marques, fotógrafos do Observador.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Mar

Bruno Bobone: «do medo ao sucesso»

Gonçalo Magalhães Collaço

Não, Portugal não é uma «nação viciada no medo» - mas devia realmente ter «medo», muito «medo», do terrível condicionamento mental a que se encontra sujeito e que tudo vai devastadoramente degradando.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)