Um grupo de 60 bombeiros florestais da Galiza, em Espanha, terá sido impedido pelas autoridades portuguesas de entrar no país, conta o jornal espanhol El Correo Gallego. A ministra da Administração Interna já comentou a situação e justificou-se com a necessidade de”garantir condições de segurança”.

Os bombeiros têm de ser devidamente coordenados pelas autoridades nacionais de proteção civil de ambos os países. Tem de ser tudo centralizado e não podemos estar aqui com voluntarismos sob pena dessas pessoas poderem colocar em risco não só a sua vida como as demais. Isto está tudo a ser coordenado pelas autoridades competentes”, disse Constança Urbano de Sousa.

O grupo foi formado ao longo da noite de domingo pelo departamento de bombeiros florestais do Ministério do Meio Rural em colaboração com governo regional da Galiza e ter-se-á voluntariado para combater os incêndios na zona de Pedrógão Grande. Os bombeiros galegos estavam munidos de dois camiões cisterna de 30 mil litros.

Foi uma sensação agridoce. Estávamos conscientes da situação que se passava em Portugal, estávamos prontos para intervir e ajudar as pessoas e uma questão burocrática impediu-nos de lutar contra um grave problema que tirou tantas vidas”, contou um dos bombeiros ao El Correo Gallego.

De acordo com o jornal, o grupo chegou a Valença do Minho quando foi impedido pelas autoridades portuguesas por não terem “capacidade de receber tanta gente” e não poderem “dar autorização” para dirigir o grupo de bombeiros para a zona do incêndio. As autoridades agradeceram a ajuda e o grupo acabou por voltar para Espanha.

O Observador tentou obter informação junto de fonte do Ministério da Administração Interna mas não obteve resposta até ao momento.

Oitenta bombeiros espanhóis chegam esta terça-feira a Portugal para ajudar no combate ao incêndio de Góis, disse à agência Lusa fonte oficial do Ministério da Administração Interna (MAI). A mesma fonte adiantou que 40 bombeiros da Galiza chegam a Portugal por via terrestre e outros 40 operacionais de várias regiões espanholas por helicóptero.

Segundo o MAI, os bombeiros da Galiza chegam a Portugal com viaturas próprias e vão ser integrados numa coluna nacional. A chegada dos 80 bombeiros espanhóis para combater o incêndio de Góis insere-se no acordo bilateral existente entre Portugal e Espanha.