A taxa de juro implícita no crédito à habitação manteve-se nos 1,012% em maio, igual a abril, com a prestação média a manter-se nos 237 euros pelo nono mês consecutivo, foi divulgado esta quinta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com o INE, nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro implícita passou de 1,675% em abril para 1,660% em maio.

Para o destino de financiamento Aquisição de Habitação, o mais relevante no conjunto do crédito à habitação, a taxa de juro implícita para o total dos contratos foi 1,030%, valor 0,2 pontos base superior ao observado no mês anterior.

Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro implícita para este mesmo destino de financiamento passou de 1,646% em abril para 1,624% em maio, sinaliza o INE.

O montante de capital médio em dívida para a totalidade dos contratos aumentou 23 euros em maio, para 51.535 euros.

Já nos contratos celebrados nos últimos três meses, o montante médio do capital em dívida foi de 89.359 euros (89.805 euros em abril).