Vários enfermeiros do movimento EESMO estão desde as 08h00 desta segunda-feira junto ao hospital Amadora Sintra para apoiar os colegas que a partir desta segunda-feira recusam prestar cuidados diferenciados.

Em declarações à agência Lusa, Luis Mós do movimento Enfermeiros Especialistas em Saúde Materna e Obstetrícia (EESMO), explicou que os enfermeiros especialistas deixam a partir desta segunda-feira de prestar cuidados diferenciados em protesto contra o não pagamento desta especialização.

Vamos pôr em prática o contrato que temos com o ministério. Ou seja cumprir as funções de enfermeiro generalista”, disse.

“Há dez anos que estamos a ser usados a nível hospitalar como enfermeiros especializados, mas o contrato que assinámos é de enfermeiro generalista. Portanto não nos podem impor nem alterar o contrato unilateralmente.”

Segundo a Ordem dos Enfermeiros, que apoia os profissionais neste protesto, existem cerca de 2.000 enfermeiros que, apesar de serem especialistas, recebem como se prestassem serviços de enfermagem comum.