A edição deste ano da Feira do Livro de Lisboa recebeu o maior número de visitantes de que há registo. Durante os 18 dias que durou o evento, passaram pelo Parque Eduardo VII 537.255 pessoas, anunciou esta sexta-feira, em comunicado, a Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL), responsável pela organização. Segundo um estudo realizado pela IPSOS APEME, a feira recebeu, em média, cerca de 30 mil visitantes por dia. Desses, 11% visitaram o espaço na companhia de crianças, entre os 6 e 12 anos.

Os mais pequenos foram, aliás, uma das principais preocupações da organização para a edição deste ano. Pela primeira vez na história da feira, esta teve início no dia 1 de junho, Dia da Criança. Por essa razão, a APEL decidiu criar em 2017, com a ajuda das Bibliotecas de Lisboa, uma programação pensada exclusivamente para as crianças. Ao longo dos 18 dias da Feira do Livro (e não só no dia 1), houve inúmeras atividades, concertos e oficinas para entreter os mais pequenos.

De acordo com o estudo realizado pela IPSOS APEME, o nível de satisfação dos visitantes com a feira e as suas infraestruturas manteve os valores elevados alcançados nas edições passadas, sabendo-se ainda que os milhares de pessoas que se deslocaram até ao Parque Eduardo VII fizeram-no não apenas para comprar livros, mas também para verem e conhecerem os seus autores preferidos e assistir a lançamentos e debates. Além disso, a área de restauração, que sofreu uma melhoria na edição deste ano, foi também apontada como uma das áreas de interesses para os visitantes, que apontaram também as melhorias nos serviços para crianças (este ano, a feira teve pela primeira vez um fraldário) e a organização do espaço como aspetos positivos.

A Feira do Livro de 2017 foi a maior de sempre. Este ano, ocupou três talhões e meio do Parque Eduardo VII (mais meio do que no ano passado), recebeu mais pavilhões, mais editoras (este ano participaram 602 marcas editoriais, mais 16 do que no ano passado) e também mais restaurantes. Foi talvez por isso que os visitantes se mostraram mais satisfeitos com o evento — mais de metade dos entrevistados consideram que a feira está cada vez melhor e 86% fizeram questão de recomendar uma ida aquele que é o maior evento literário do país.

“É, para nós, motivo de orgulho saber que os visitantes da Feira do Livro de Lisboa apreciam o evento e que voltam, ano após ano, com expectativas cada vez mais elevadas. Expectativas essas que não só são correspondidas como ultrapassadas a cada edição”, afirmou o secretário-geral da APEL, Bruno Pires Pacheco, citado em comunicado.

Sobre o aumento do número de visitantes, Bruno Pires Pacheco admitiu que “a fasquia era alta” e que “já desde o ano passado” que a organização queria “atingir a barreira do meio milhão de visitantes”. “É com natural entusiasmo que sabemos agora que quase 540 mil pessoas vieram à Feira do Livro de Lisboa e desfrutaram de todo o magnífico ambiente que se viveu durante 18 dias no Parque Eduardo VII”, disse ainda.

Mais de sete mil livros angariados

A campanha de angariação, que decorreu durante os 18 dias da Feira do Livro de Lisboa, permitiu recolher mais de sete mil livros usados que serão agora distribuídos pela rede de instituições do Banco dos Bens Doados. Esta campanha, que já tinha sido realizada em anos anteriores, voltou em 2017 ao Parque Eduardo VII com o objetivo de fomentar os hábitos de leitura, sobretudo nas camadas mais jovens.