Videojogos

“És Tu!”, o novo party game da PlayStation 4

"És Tu!" é o novo "party game" da PlayStation 4 que se joga através do smartphone. O Rubber Chicken entrevistou Caspar Field e Tom Bennett da Wish Studios.

És Tu!/Sony Computer Entertainment

Autor
  • Rubber Chicken

A PlayStation tem um legado sorridente de jogos para a família e amigos. Apesar de os seus sistemas nunca terem sido desenhados com a família em especial consideração, a verdade é que sempre tiveram a versatilidade necessária para, com os periféricos adequados, conseguir ser um bom centro de entretenimento para todos. Nomes como Eye Toy, Singstar e Buzz (entre outros) são conhecidos pelo público português por trazerem uma grande componente social para o entretenimento digital de sala.

Desde a chegada da PlayStation 4 ao mercado assistimos à chegada da realidade virtual (que migrou também os controlos de movimento da geração anterior) que, apesar de sozinha poder representar uma forma divertida de aproveitar tempo com amigos e família, acolheu experiências multi jogador com jogabilidade assimétrica bastante interessantes, tais como modos vistos em Playroom VR, Tumble VR e também jogos como Keep Talking and Nobody Explodes. Mas ainda estava para vir o dia em que a PlayStation 4 recebia um novo jogo multi jogador exclusivo com potencial para se tornar uma experiência social divertida e acessível. Com És Tu!, o novo exclusivo para a PlayStation 4, o primeiro a gozar do novo sistema PlayLink, talvez esse dia tenha chegado.

PlayLink é a nova forma de jogar na PlayStation 4, anunciada na maior feira de videojogos que decorreu em Los Angeles no mês passado, a Electronic Entertainment Expo (popularizada como E3). Com o PlayLink podemos utilizar as funcionalidades de ecrã táctil e câmara de até seis dispositivos iOS e Android (smartphones e/ou tablets) para participar de forma inédita em jogos multi jogador na vossa PlayStation 4. Basta realizar o download da aplicação de um dos cinco jogos anunciados para o nosso dispositivo (da forma usual, através da Play Store ou App Store no caso de Android ou iOS, respetivamente), estar ligado à mesma rede Wi-Fi que a nossa PlayStation 4 e começar a jogar.

Dois dos jogos anunciados são obra da Wish Studios, estúdio inglês responsável pelo primeiro jogo de karaoke via streaming na PS3, SingOn (2014). Enquanto Knowledge is Power está agendado para o final do ano, uma nova abordagem aos jogos de quiz tradicionais, És Tu! (em inglês That’s You!) chegou à PlayStation Store na passada terça-feira (dia 4 de julho) completamente gratuito para membros do PlayStation Plus e às lojas de território luso no dia seguinte (disponível em ambos os formatos pelo preço de 19,99€).

És Tu! é também um jogo quiz mas com um twist original: as perguntas não são sobre cultura geral mas sim sobre os próprios jogadores, proporcionando um excelente jogo para família e grupos de amigos no seu formato para mais de dois jogadores e um excelente medidor de amizades ou forma de quebrar o gelo entre duas pessoas. Em És Tu! são colocadas perguntas sobre o comportamento dos jogadores em determinados contextos (na escola, num transporte público, num casamento, entre outros) e são ganhos pontos sempre que há coincidência entre respostas entre jogadores.

Isto é, em grupos de mais de duas pessoas ganham aqueles que acertarem na resposta mais popular, em grupos de duas pessoas, ganham pontos se o jogador sobre o qual não se está a fazer a pergunta adivinhar o que outro jogador faria naquela situação. Como discutido na entrevista feita pelo Rubber Chicken a Caspar Field e Tom Bennett (que poderão assistir abaixo), És Tu! é uma celebração das pessoas, amizades e suas diferenças, tal como uma boa aposta para bons momentos de diversão, mas sem esquecer que, na verdade, as partidas são tão divertidas quanto as pessoas com quem estamos a jogar o permitirem.

Quanto à rejogabilidade e longevidade do jogo temos as nossas dúvidas, mas só o tempo dirá durante quanto tempo És Tu! continuará a ser iniciado nas consolas de sala. Por enquanto, é sinónimo de tempo bem passado e definitivamente algo a pelo menos experimentar com o maior número e tipo de pessoas diferentes por aqueles que têm a subscrição do PlayStation Plus.

Bernardo Tavares, Rubber Chicken

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Paris

A morte das catedrais

António Pedro Barreiro
445

A separação forçada entre a beleza e a Fé é lesiva para ambas as partes. O incêndio em Notre-Dame recorda-nos isso. Recorda-nos que as catedrais não são montes de pedras.

Mar

Bruno Bobone: «do medo ao sucesso»

Gonçalo Magalhães Collaço

Não, Portugal não é uma «nação viciada no medo» - mas devia realmente ter «medo», muito «medo», do terrível condicionamento mental a que se encontra sujeito e que tudo vai devastadoramente degradando.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)