Tráfico Humano

SEF detém quatro pessoas e resgata vítimas de tráfico de seres humanos em Beja

264

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras anunciou que deteve quatro cidadãos estrangeiros e resgatou uma dezena de trabalhadores de explorações agrícolas da zona de Beja.

De acordo com o SEF, trata-se de um grupo criminoso organizado que se dedica a trazer cidadãos oriundos do Leste Europeu

LUSA

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) anunciou esta sexta-feira que deteve quatro cidadãos estrangeiros e resgatou uma dezena de trabalhadores de explorações agrícolas da zona de Beja, que vivia e trabalhava em condições muito precárias.

Em comunicado enviado à agência Lusa, o SEF indica que os 10 trabalhadores, também estrangeiros, foram sinalizados como vítimas de tráfico de seres humanos e encaminhados para uma instituição de apoio.

Denominada “Merlin”, a operação decorreu na quinta-feira, na sequência de uma investigação que teve origem numa denúncia apresentada por três trabalhadores que conseguiram fugir às “malhas” da organização e se deslocaram a pé até ao Algarve.

As vítimas, segundo o SEF, denunciaram um esquema indiciário da prática dos crimes de auxílio à imigração ilegal, angariação de mão-de-obra ilegal e tráfico de pessoas para efeitos de exploração laboral, tendo os factos sido participados ao Ministério Público de Ferreira do Alentejo, que tem a cargo a investigação.

Em causa, de acordo com o SEF, está a atuação de um grupo criminoso organizado que se dedica a trazer cidadãos oriundos do Leste Europeu, nomeadamente Moldávia e Roménia, para explorações agrícolas no Alentejo a troco de avultadas quantias monetárias.

A investigação apurou que os trabalhadores eram angariados e aliciados nos seus países de origem, através de falsas promessas de contrato de trabalho, cujas cláusulas não eram cumpridas, nomeadamente no que respeita a remunerações e qualidade de vida.

Os trabalhadores que chegavam a Portugal eram transportados e alojados na zona de Beja e passavam a ser “controlados por um grupo de indivíduos, que de forma organizada, decidia os trabalhos a executar na agricultura e os horários a cumprir”.

As vítimas, assinala o SEF, “nunca chegavam a receber qualquer salário, auferindo unicamente pequenas quantias para a sua própria subsistência”, e eram “iludidos com a informação” de que não conseguiriam regularizar a sua situação em Portugal.

O SEF refere que o principal suspeito em investigação e nove trabalhadores sofreram um acidente rodoviário, na quinta-feira de madrugada, no Itinerário Principal (IP) 8, no sentido Beja-Ferreira do Alentejo.

O suspeito, que transportava os trabalhadores para uma exploração agrícola, escapou ileso, mas o acidente provocou nove feridos, cinco ligeiros e quatro graves entre os trabalhadores, adianta a organização de segurança.

Durante a operação, que envolveu 20 inspetores do SEF e em que foram identificados cerca de 100 cidadãos estrangeiros, foram cumpridos um mandado de detenção e um de busca domiciliária, tendo sido emitidos mais três mandatos de detenção no decurso da ação.

Os quatro detidos, com idades entre os 22 e os 42 anos, vão ser presentes ao Tribunal de Ferreira do Alentejo para aplicação de eventuais medidas de coação.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)