Foi há um mês que, por interesse, gosto ou curiosidade, milhões de pessoas pararam em frente à televisão para ver aquele que era descrito como o ‘Combate do Século’. Floyd Mayweather ganhou, Conor McGregor não perdeu (que mais não seja pela forma como viu a conta recheada). E aquela trash talk de ameaças terminou no momento em que o americano entrou na história do boxe com um registo invencível de 50-0: deram abraços, andaram a divertir-se em festas, falaram bem um do outro. Um mês depois, a ligação entre ambos é ainda maior do que se poderia pensar. Todos aqueles que falaram em encenação, farsa e espetáculo veem a sua teoria subir aos pontos com o tempo…

“O parceiro certo para dançar” rendeu-se ao “verdadeiro campeão”

Enquanto McGregor andou por Ibiza a gozar à grande após o combate – uma viagem que já tinha combinado pelo casamento do melhor amigo – e está agora a pensar na próxima ‘aventura’ (que deverá passar pelo regresso à UFC), Mayweather goza a reforma como goza a vida desde que assumiu o profissionalismo: entre excentricidades. Mas ainda consegue surpreender e, após uma série de publicações de imagens e vídeos nas redes sociais da nova mansão em Beverly Hills, o americano mostrou agora que tem um enorme quadro de uma pintura do irlandês.

Mas vamos rebobinar o filme: depois de algumas noites de festa, Floyd Mayweather começou a gozar a sua reforma comprando mais um espaço milionário para juntar aos que já tinha em Las Vegas e Miami. Preço? 21 milhões de euros, a que se juntaram mais 400 mil de mobília para a mansão com seis quartos, nove casas de banho, sala de cinema para 20 pessoas, ginásio, piscina e casa de hóspedes, entre outras preciosidades só ao alcance de alguns bolsos. Numa das salas de jantar, “decorou” também a parede com uma enorme coleção de alguns dos melhores vinhos. Logo ele que, apesar da vida notívaga, sempre destacou que não fumava nem bebia álcool.

View this post on Instagram

My wine cellar in my Beverly Hills castle.

A post shared by Floyd Mayweather (@floydmayweather) on

View this post on Instagram

Relaxing in the 90210.

A post shared by Floyd Mayweather (@floydmayweather) on

No entanto, nem os quase 300 milhões de euros ganhos no combate (100 milhões à cabeça pelo triunfo, 193 pelas receitas do pay-per-view e do merchandising) conseguiram desbloquear o plano de férias que tinha previsto: as férias na Oceânia voltaram a ser canceladas porque, tal como já tinha acontecido em 2015 após o duelo com Manny Pacquiao, as autoridades australianas não lhe concederam visto para entrar no país devido ao histórico de violência doméstica. Assim, tem passado grande parte dos seus dias por Beverly Hills, sem que deixasse de voltar à ribalta com algumas polémicas muito típicas do pugilista com o melhor registo de sempre no boxe. E uma delas nasceu quando veio a público defender o presidente americano, Donald Trump.

Durante a campanha das presidenciais, Trump veio a terreno pedir desculpa pelo que dissera numa gravação de 2005 divulgada pelo Washington Post, onde proferia uma série de comentários sexistas em relação às mulheres. E nunca mais se tinha falado do assunto até que Floyd Mayweather decidiu agora vir elogiar o atual presidente por essas mesmas frases. “As pessoas não gostam da verdade, mas ele falou como os homens costumam fazer. Era uma conversa de balneário”, disse no programa ‘Access Hollywood’. A chuva de críticas não demorou…

Também a vida noturna e a ostentação de riqueza têm merecido reparos por parte de vários quadrantes: depois da noite de folia com o comediante Dave Chapelle no seu clube de striptease em Las Vegas, o ‘Girl Collection’ (na mesma noite em que, muito perto, Golovkin e Canelo faziam um ‘verdadeiro’ combate do ano de boxe, que teve muita mais gente a assistir do que o seu duelo com Conor McGregor), onde fez uma espécie de piscina de notas que atirava ao ar no montante total de 300 mil dólares, disse no programa ‘Akward Puppets’ que tem sete namoradas. “Devo ter sempre à minha volta sete mulheres, sete sortudas. Ter uma é quase o mesmo do que não ter nenhuma.”

‘Combate do Século’. A vida de Mayweather, o pugilista temível que dorme sempre com a luz acesa

Todavia, tem-se falado com insistência na proximidade do pugilista a Red Rose, ou ‘La Cubana’, considerada a melhor stripper dos Estados Unidos e a quem comprou cerca de 200 mil euros em malas da Birkin. Animação não falta na vida do americano. Será que, daqui a um ano ou dois, voltará a sair da reforma para receber mais uma fortuna? Tratando-se de Mayweather, tudo é possível. Mas o próprio recusa por completo essa hipótese.

Combate do Século. O dia em que Mayweather ganhou (e fez história) mas McGregor não perdeu