A Forbes divulgou esta semana o ranking das 5oo melhores empresas para trabalhar. A lista é marcada por uma forte presença de empresas americanas que são 157 num total de 500. No top ten há seis americanas, todas tecnológicas. As duas primeiras são a Alphabet, dona da Google, e a Microsoft. Em quarto lugar surge a Apple e em oitavo está a IBM.

O ranking da revista americana, que se tornou uma referência na divulgação de listas dos mais ricos, conta com duas empresas portuguesas com uma nota que as coloca abaixo do meio da tabela. No lugar 274 surge a Jerónimo Martins e em 286 está a Galp Energia.

Esta lista é elaborada a partir de um clube seletivo das 2000 maiores empresas mundiais com o capital aberto à negociação em bolsa. Ou seja, são excluídas empresas públicas. O ranking das 2000 valoriza indicadores como o volume de negócios, lucros, ativos e capitalização bolsista e a última edição inclui cinco empresas portuguesas por esta ordem: EDP, Jerónimo Martins, Galp, BPI e BCP. Mas apenas duas, a Jerónimo Martins e a Galp, surgem na lista dos melhores empregadores.

A classificação dos melhores empregadores é feita a partir da análise de mais de 360 mil recomendações feita pela Statista, uma das principais empresas de estatística. Foram realizados questionários aos trabalhadores, onde lhes foi pedido que dessem uma nota ao seu empregador, bem como que revelassem qual a probabilidade de recomendarem a sua empresa a um amigo e familiar. Os colaboradores foram ainda convidados a indicar outras empresas que admiram.

O ranking não desenvolve as razões para a classificação das empresas nacionais, remetendo para uma ficha com alguns indicadores chave da companhia. A Jerónimo Martins emprega mais de 96 mil pessoas nas suas operações de retalho em Portugal, Polónia e Colômbia. A Galp produz petróleo, transforma e vende combustíveis e gás natural. Está presente sobretudo em Portugal, Espanha, Brasil, Angola e Moçambique e tem 6475 colaboradores.

Abaixo das duas empresas portuguesas no ranking dos melhores empregadores estão alguns gigantes internacionais, como a Vodafone, a eBay, a Boeing ou a Renault. Por países incluídos, Portugal está entre os que têm um menor número de melhores empresas para trabalhar, ao lado da Irlanda, Grécia, México e África do Sul, por exemplo. A Espanha tem três empresas: Repsol, Amadeus e Grifols.