Belmiro de Azevedo

A mensagem dos colaboradores da Sonae: “Tudo fazer para perpetuar o legado” de Belmiro

766

Colaboradores do grupo publicam mensagem de homenagem ao empresário. E garantem que vão continuar empenhados a defender o legado que Belmiro liderou durante 50 anos.

AFP/Getty Images

Autor
  • Helena Cristina Coelho

É uma mensagem breve e de homenagem: na morte de Belmiro de Azevedo, os colaboradores ‘assinam’ um pequeno texto que abre o site institucional do grupo Sonae e que começa por destacar os 50 anos de liderança do empresário. Um período, defendem, em que “transformou [o grupo] num dos mais importantes e respeitados grupos empresariais portugueses com o seu caráter empreendedor único“, lê-se na mensagem.

Os colaboradores prestam assim a sua homenagem ao “homem que dedicou a vida a criar um legado histórico ímpar no panorama empresarial em Portugal”. E deixam o compromisso de “tudo fazer para o perpetuar”, assegurando que vão manter-se “empenhados em contribuir para que a Sonae continue a levar os benefícios do progresso e da inovação a um número crescente de pessoas, tal como o Engenheiro Belmiro sempre nos ensinou”, escrevem.

O grupo Sonae conta atualmente com mais de 40.700 colaboradores, de acordo com a informação disponibilizada pela própria empresa, distribuídos por 86 países e várias áreas de negócio (retalho, serviços financeiros, tecnologia, centros comerciais e telecomunicações). Perto de metade dos trabalhadores (47%) têm mais de 35 anos e 66% são mulheres, num universo onde Belmiro de Azevedo sempre defendeu modelos de gestão que também se tornaram um marco: desde os mandamentos do “Homem Sonae” (uma espécie de código de valores que o executivo apresentou aos seus quadros em 1985) às carreiras em ziguezague.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Morte

Xutos & Pontapés na Igreja e no Estado

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
1.072

Não podendo o Parlamento honrar todos os cidadãos falecidos, é razoável que reserve as suas homenagens para os portugueses que mais se distinguiram pelo seu saber e serviço à comunidade.

Finanças Públicas

Como evitar um 4º resgate? /premium

Paulo Trigo Pereira

Portugal necessita de mais doze anos (três legislaturas completas) de crescimento económico e de finanças públicas quase equilibradas para sair da zona de risco financeiro em que ainda se encontra.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)