Na Catalunha há hoje uma fratura social, em consequência da tentativa de declaração unilateral de independência após o referendo de outubro. O aviso foi deixado esta sexta-feira pelo presidente do PSOE, Pedro Sanchez, que participou em Lisboa num encontro dos partidos socialistas europeus.

Para o dirigente na oposição, o governo de Mariano Rajoy pouco fez nos últimos anos para travar o desafio colocado pela força crescente independentistas, de acordo com declarações reproduzidas pela agência Bloomberg,

Dados recentes que a região autonómica espanhola também está a sofrer o impacto económico pela crise política aberta pela escalada do movimento independentista que culminou com suspensão do estatuto de autonomia e a demissão do Governo de Carles Puidgemont. Em outubro, e ao contrário do que sucedeu na generalidade dos destinos turísticos espanhóis, a Catalunha perdeu 4,7% do número de visitantes.

As declarações de Pedro Sanchez foram feitas durante o encontro do Partido Socialista Europeu que serviu ainda de pretexto para uma reunião privada entre o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras e António Costa que decorreu esta sexta-feira ao final do dia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O primeiro-ministro português também tem encontro marcado com o líder do partido trabalhista britânico. Jeremy Corbyn está a tentar reforçar os seus laços com os líderes europeus, defendendo a cooperação bilateral no quadro do pós-Brexit.

“À medida que o Reino Unido abandona a União Europeia é mais importante do que nunca estabelecer relações fortes para a cooperação internacional em assuntos cruciais”, disse o líder da oposição a Theresa May num mail citado pela Bloomberg. E que áreas? Evasão fiscal, comércio justo, alterações climáticas, crise dos refugiados, paz a segurança.