“Os catalães não perdem a esperança”, defende o La Vanguardia. E a ideia não nasce de uma opinião subjetiva mas sim de uma sondagem: 57% dos catalães acredita que, depois das eleições do próximo dia 21 na região, é possível haver um retomar do processo de negociações entre Generalitat e Governo central.

Na sequência de uma série de sondagens sobre as preferências partidárias no sufrágio, o jornal apresenta um estudo que tem como principal premissa os cenários que se abrem no seguimento das eleições e essa crença numa reabertura do processo de negociação entre ambas as partes é o tópico com maior décalage entre “sim” e “não”, que tem 36,9%. Em contraponto, 51,8% dos inquiridos não acreditam que existam novas eleições pela impossibilidade de ser formado governo (contra 40,4%).

Sondagem dá vitória a Ciudadanos mas Puigdemont é o favorito

Os três outros cenários têm votações bem renhidas, o que mostra bem o delicado momento político que a Catalunha atravessa: 46% acreditam que o processo indepedentista será retomado (contra 44,4% que responderam “não) e 46,3% não acham que seja possível renunciar a todo este processo voltando à legalidade (43% dizem que “sim”); em paralelo, 49% consideram impossível haver uma reforma da Constituição, enquanto 43,4% respondem de forma afirmativa.

Por fim, e no rescaldo de um período muito atribulado que teve como epílogo a entrada em ação do artigo 155 da Constituição e posterior marcação de eleições regionais na Catalunha, mais de 68% entendem que a economia catalã ressentiu-se da vontade de proclamar a independência de forma unilateral, num número que varia muito consoante a preferência partidária. 62% vão mais longe e entendem que a fuga de algumas empresas da região irá inclusive afetar a economia a longo prazo.

O La Vanguardia apresentou também nesta manhã de segunda-feira e uma sondagem interna feita pela candidatura do ex-líder da Generalitat, Carles Puigdemont, que dá a vitória ao Ciudadanos mas reforça o peso do bloco independentista no Parlamento.